SARGENTO, RECÉM REFORMADO PELO EXÉRCITO, SAGRA-SE CAMPEÃO DE JIU-JITSU

A suposta foto, do jovem Sargento Reformado, recebendo premiação na competição de jiu-jitsu, espalha-se pelo WhatsApp. Junto, para afirmar a contradição, uma imagem de Boletim do Exército Brasileiro que Reformou o Militar – Que País é Esse?

CRÍTICA EM TOM IRÔNICO 

Na foto, consta que o Sargento seria o “orgulho dos reformados do EB (Exército Brasileiro)”, ironizando que o campeão teria graves problemas na coluna, senão o Brasil teria um novo José Aldo do UFC Combate. 

O EXÉRCITO COM A PALAVRA OFICIAL 

O Blog abre espaço para que a Instituição Exército Brasileiro se pronuncie, pois, os controversos fatos necessita esclarecimentos – E-mail: tenentemessiasdias@gmail.com

 É GOLPE OU NÃO? ESPAÇO ABERTO PARA A DEFESA DO SARGENTO 

O Blog abre espaço para a defesa do Sargento, pois, uma vez verdadeiras as fatos, poderia está se configurando algo, supostamente, delituoso – E-mail: tenentemessiasdias@gmail.com

6 comentários em “SARGENTO, RECÉM REFORMADO PELO EXÉRCITO, SAGRA-SE CAMPEÃO DE JIU-JITSU

  • 18/12/2017 em 14:19
    Permalink

    Saudações a todos!
    O comentário que faço é que infelizmente esse caso não deve ser único, e vai de encontro a outras falhas que existem no EB é que precisam ser corrigidas, pois essa é outras falhas mancham a boa imagem que a instituição possui na sociedade brasileira.

    Resposta
  • 18/12/2017 em 15:44
    Permalink

    isso e vergonhoso pro nosso Brasil e quando se trata de EB ainda é mais ainda um jovens desse aposentado com problema de coluna isso e um brincante como pode kkkkkkkk

    Resposta
  • 18/12/2017 em 16:57
    Permalink

    Esse é mais um caso para o Fanastico, Profissão Reporter e Domingo Espetacular.

    Parabéns Messias Dias.

    Temos que corrigir a corrupção que existe dentro de nós.

    Resposta
  • 19/12/2017 em 08:41
    Permalink

    Caro Messias, existem três tipos de reforma dentro da instituição militar: a primeira quando o militar na reserva atinge o limite máximo de permanência nessa situação, e não pode mais ser convocado, a segunda é aquela que o militar adquire enfermidades e é reformado administrativamente ou judicialmente, essa ocorre quando a instituição o excluí ainda que enfermo e em tratamento(injustiça) e a terceira e última trata de uma aberração ao erário público que é a reforma administrativa a força através de laudos falsos com aparência legitimidade.
    Pois bem, vou tratar do último caso. A Reforma administrativa a força, na verdade ela é proveniente da perseguição interna e geralmente recaí sobre aquele militar que sabe muito, que domina fatos que não podem cair nas graças do Judiciário e da imprensa. A instituição resolve calar a boca do militar através do “sossega leão” via medicamentos, e em seguida edita um laudo informando que o referido militar é “paranoico com os superiores” , pois sofre de esquizofrenia.
    No ano de 1993, no quartel do 29º BIB(Sta Maria-RS) um sgt foi ouvido pelo Coronel Odailton Gonçalves de Lima, comandante da unidade, ameaçou expulsar o sargento de carreira, pois o mesmo tentava conduzir o caso de assédio sexual sofrido por sua esposa e praticado por um capitão do 7º BIB em via pública.
    O Coronel comandante disse: “- O capitão errou, mas errado é vocè sargento e sua esposa de querer levar o caso pra frente, se levar o caso pra frente vai sujar a imagem do capitão que é a imagem do exército brasileiro, mas não se engane vc pode até sair do meu comando, mas para onde você for: Norte, Sul,Leste ou Oeste, nos vamos perseguir vc e coloca-lo no olho da rua, pois o Exército é nosso, dos Oficiais da AMAN, o soldado, cabo, sargento e subtenente estão aqui porque precisam, além do mais o pau aqui dentro quebra nas costas do mais fraco”.
    Durante o episodio um capitão contemporâneo do capitão assediador pediu a exclusão a bem da disciplina do sargento, pois o sargento no episódio teria sacado seu trinta e oito para matar o capitão, esse capitão que solicitou a exclusão foi ser o comandante no ano de 2002 -2003 do então sargento, e ai reformaram o mesmo por pura perseguição. O capitão assediador hoje é Tenente-Coronel R/1 em Resende-RJ e também advogado . Quanto ao sargento, retiraram ele da força via laudo falso, um verdadeiro expurgo e festival com dinheiro público. A imprensa deveria analisar esse caso, o MPF federal também e a Policia Federal. Não se deter somente ao fator reforma mas o desenrolar desse processo que originou a reforma. Impossível um militar que nunca abaixou hospital e não toma medicamentos ser considerado invalido para vida militar e vida civil por interesse de pessoas que se acham dono do exército, que destroem sonhos e uma vida.
    Messias vamos acabar com as injustiças dentro das Forças Armadas e mostrar esses FDP que o Brasil mudou, e que o Exército brasileiro aos poucos vem perdendo a credibilidade perante a opinião pública, pois dia a dia vem uma noticia de desvios de dinheiro, falcatruas, perseguições e morte. Já é hora de jogar a “merda no ventilador que gira para todos os lados”.

    Resposta
  • 22/12/2017 em 18:58
    Permalink

    Fui julgado INAPTO DEFINITIVAMENTE PARA OS SERVIÇOS DO EB, fiquei doente, fui operado a cirurgia deu errada e mesmo assim mim mandaram embora sem direito a NADA e outra FUI PRA FRONTEIRA CONTRA A MINHA VONTADE, VIM PRA CASA MIM SENTINDO UM LIXO, ENTREI APTO NÃO TINHA NEM UM PROBLEMA , QUANDO ADOECI MIM JOGARAM FORA

    Resposta
  • 19/02/2018 em 21:32
    Permalink

    Infelizmente não é o único caso.
    Conheço um caso onde um sargento temporário (Sul de MG) foi reformado por problemas no joelho, inclusive com isenção do IRPF. Mas foi vistos por outros militares jogando bola nos finais de semana nos campos da cidade. E o que foi feito? Nada.
    Vale lembrar que no ano passado foram desmascarados vários militares reformados no RS por problemas de saúde, mas na verdade nada tinham.
    Infelizmente os que realmente tem problemas acabam sendo injustiçados por estes que são golpistas.
    Parabéns ao Blog por apontar estas vergonhas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.