Major e Tenente do Exército estão lotados no Judiciário (TRF/2), desde 2016

Estão lotados no TRF/2, o Tenente Coronel de Engenharia Marton Daniel Grala e a 1º Tenente QCO Úrsula Salerno Chaves – DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO (CLIK).

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO NÃO DEFINE QUAL ATIVIDADE A TENENTE FOI DESIGNADA

Segundo a fonte, a 1ª Tenente ÚRSULA SALERNO CHAVES, da Assessoria Jurídica da 1ª Região Militar do Exército, encontra-se à “disposição” do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, supostamente no Gabinete do Desembargador Luís Paulo, da 7ª Turma – O Blog não conseguiu contato com o Gabinete do Desembargador.
A Oficial  graduou-se em direito pela UFRJ em 2010, exercia a Advocacia e, posteriormente, formou-se Oficial do QCO (Quadro Complementar de Oficiais em 2014) – possuindo menos de 3 anos de serviço.
O Comando do Exército declarou “interesse do serviço”, a nomeação de uma tenente dos seus quadros que, recebe dos cofres públicos para ser “TENENTE”, todavia encontra-se à disposição de um órgão do Poder Judiciário….
O Comando do Exército não aponta quais os seus interesses para a “passagem à disposição”, ex-officio, da Tenente, embora exista necessidade de observar manifesta disposição do texto constitucional.
MAJOR (TENENTE CORONEL) ESTÁ NO TRF/2, DESDE 2016  – trf2- Servidores de outros õrgãos (CLIK)
Da mesma forma, encontra-se também no TRF da 2ª Região, por necessidade do serviço, ex-officio, o Tenente Coronel MARTON DANIEL GRALA, sem que se tenha definição de quais atividades estaria exercendo.
A fonte não soube precisar, se o Oficial estaria lotado em algum gabinete, de certo que há necessidade de observar, se há também desvio de finalidade ou função, uma vez tratar-se de Oficial QEMA, tão caro aos Quadros do Exército Brasileiro.
OFICIAIS PODEM FICAR LOTADOS POR ANOS NO PODER JUDICIÁRIO? – QUAL INTERESSE?
Causa estranheza que o Exército passe a disposição de Tribunal Regional Federal, oficiais da ativa, justamente no Poder Judiciário – EIS A QUESTÃO!
                           “Alguma coisa está fora da ordem. Fora da nova orem mundial”

37 comentários em “Major e Tenente do Exército estão lotados no Judiciário (TRF/2), desde 2016

  • 28/06/2018 em 22:14
    Permalink

    Com certeza há desvio de finalidade e o MPF deve averiguar qual esse interesse público de um militar em gabinete de desembargador.

    Resposta
  • 28/06/2018 em 22:25
    Permalink

    Com certeza estes oficiais estão lotados no TRF2 para trazerem imparcialidade nas causas de praças contra o Exército Brasileiro. É uma vergonha e mais uma descrença na Justiça Federal do Rio de Janeiro. Estão ali provavelmente para trazer imparcialidade nos casos de promoção por ressarcimento de promoção a QAO, mais não devemos desistir. Uma ajuda no Judiciário para esconder os Crimes de Oficiais do EB contra Praças……..Parabéns TRF2.

    Resposta
    • 04/07/2018 em 21:04
      Permalink

      Que bom que eles vão trazer “imparcialidade”.

      Resposta
  • 28/06/2018 em 22:27
    Permalink

    Safados vagabundos temos de denunciar na OAB e Ministério Público

    Resposta
  • 28/06/2018 em 22:47
    Permalink

    O motivo é óbvio: “assessorar” o Desembargador nas ações em que o Exército (no caso, a União) é réu. É mais uma maneira podre de tentar interferir nas decisões judiciais, assim como convidar juízes para jantar ou agraciá-los com medalha ou com algum diploma de “amigo”. A diferença é que, colocando os oficiais à disposição de um Tribunal, além do desvio de funções a imparcialidade dos juízes estará maculada. Será que eu poderia pedir explicações ao Comandante do Exército que diabos estão fazendo militares nos Tribunais, e exigir o imediato retorno deles à tropa? Ah, lembrei… Hierarquia e Disciplina… tenho que ficar quietinho no meu canto senão posso ser preso por ousar questionar um semi-deus que está acima da Constituição…

    Resposta
  • 28/06/2018 em 23:13
    Permalink

    Saudações a todos do Blog. Esse Tribunal é pra onde foi o meu processo…achei muito estranho, esses dois oficiais lotados lá, ainda mais ultimamente que tem se avolumado o número de processos contra o EB. Se caso se confirme o que suspeitamos, o que pode ser feito, já que até onde eu sabia, estamos num Estado Democrático de Direito?

    Resposta
    • 04/07/2018 em 21:10
      Permalink

      Procure um psiquiatra, reconheci em você dois possíveis sintomas de esquizofrenia.

      Resposta
      • 07/07/2018 em 09:13
        Permalink

        Procure o Pastor Marcus Felicianus, pois percebi em vc um traço profundo de boiolice avançada.

        Resposta
      • 07/07/2018 em 16:30
        Permalink

        Saudações a todos!
        Francisco P. Reig (semi-Deus), você reconheceu em mim dois sintomas de esquisofrenia? E em você mesmo, já viu algum traço de esquisofrenia? Você deve ler o livro, o alienista, de Machado de Assis, onde no enredo da história, um certo Sr chamado Dr Bacamarte resolveu fazer estudos de psiquiatria e começa ver a todos com distúrbios mentais. Esquisofrenia é um distúrbio mental. Cuidado para não acabar como na história e no final se internar num manicômio hein?
        Infelizmente pessoas como você Francisco, soberbas, os quartéis estão cheios, pessoas como o “Dr Simão Bacamarte”, que numa função superior se acham no direito de julgar e estigmatizar os subordinados.
        Agora eu não te digo para procurar um psiquiatra, pois se tenho algo a tratar, não chega a ser da gravidade que o amigo se encontra, por isso te aconselho a procurar um psicanalista e fazer uma terapia, pois o seu caso é sério, e não sei se pode ser tratado, somente um especialista poderá dizer. Não quero agir arrogantemente como sua pessoa, pois não sou da área médica. Acredito que o problema principal está no seu caráter. Não sei se você é Oficial, mas imagino que pessoas com a sua mentalidade doentia é que devem ter ajudado ou corroboraram com a covardia que fizeram com o Ten Messias Dias, o qual foi reformado à revelia. Quando o “bom bezerro berra”, como foi o caso do Messias, trataram logo de arrumar uma doença pra ele. Mas a autonomia de pessoas como você estão com os dias contatos. Espero em Deus que a justiça acabe triunfando e nosso país ainda respire o estado democrático de direito, o que infelizmente não ocorre plenamente nos quartéis.

        Resposta
  • 29/06/2018 em 08:38
    Permalink

    O mais gritante é que o tal Major estava lotado no Gabinete do Comandante do Exército em Brasília, e passou à “disposição” sem nenhuma publicação no DOU ou Agregação, sendo apresentado somente por ofício da A2 do Gab Cmt EB ao TRF2 no Rio de Janeiro.
    Já a Tenente, que é QCO de Direito e tem pouco mais de 3 anos de EB foi “passada” por portaria publicada no DOU, também sem nenhuma motivação pública dessa estranha transferência.
    E o Desembargador Luís Paulo? O que diz? E a Corregedoria do Tribunal?
    Ah sim, vão dizer que comunicaram ao CNJ e o documento apresentado no BLog é público…blá…blá…blá….e fica tudo como dantes no quartel de abrantes.
    Isso deve ser tão “comum” que esses caras fazem o que querem…
    Precisamos de uma lavajato nos Tribunais e nas FFAA urgentíssimo.
    Tem muito milico idiota que acredita no sistema.

    Resposta
    • 04/07/2018 em 21:13
      Permalink

      Se você é “milico” supõe-se que deveria acreditar no Sistema. Senão não seria “milico”, seria anarquista.

      Resposta
      • 05/07/2018 em 15:52
        Permalink

        Me pergunto se este Francisco é um praça burro, Praça Puxa-saco, Oficial Burro ou Oficial sem caráter. vou só dar um exemplo a você de como o sistema é sujo e eu como milico não acredito no sistema. a Promoção de Sub a QAO é um processo sigiloso e discricionário, já e contra Lei por si só, pois não tem a transparência que determina a Lei de Processo Administrativo Federal (9784/99). Segundo, na minha turma saiu promovido miliares com prisão, um nem cancelou a prisão, foi como Demérito na Ficha de Valorização de Mérito, isso em um processo de promoção que dizem ser por merecimento. Eu acho que os oficiais pensam que os praças são todos burros e sem estudo, como eram na década de 60.

        Resposta
  • 29/06/2018 em 08:43
    Permalink

    É óbvio… São informantes, espiões… Levam e trazem informações..
    E ainda cooptam a favor dos interesses dos generais… É triste…

    Resposta
  • 29/06/2018 em 08:55
    Permalink

    Existe um lobby criminoso do comando na justiça militar e civil que todos nós sabemos, por meio de almoço, jantares, passeios etc… tudo como o propósito de aumentar o raio do chicote, então, denunciem para o MPF, OAB, STF, congresso etc. Srs vou entrar com um pedido junto a PGR para o TCU analisar o CPF dos comissionados em “boquinhas”, tenho certeza que encontrará muitos CPFs de parentes do comando e até amantes em comissão de estatais e no serviço publico federal de cabras que arrebentaram como a tropa para alcançar seus êxitos pessoais, daí entenderemos perfeitamente a politicagem nas FAs.

    Resposta
  • 29/06/2018 em 08:57
    Permalink

    Daí percebemos que mesmo com transito em julgado a nosso favor, não recebemos os 28,86 %.

    Resposta
  • 29/06/2018 em 11:12
    Permalink

    Esses Oficiais foram mamar no judiciário, querem influenciar nas decisões, desvio de finalidade. Gen Vilas Boas acaba com essa farra. se posicione, o sr ainda é o CMT EB, apesar de estar debilitado.

    Resposta
  • 29/06/2018 em 12:13
    Permalink

    Não quero essa gente do Exército como colega de Trabalho na JF. Voltem pros seus quarteis.

    Resposta
  • 29/06/2018 em 18:58
    Permalink

    Coluna do jornalista Ricardo Boechat, revista Istoé desta sexta (29.06), publica a seguinte nota:

    Toga & farda

    Advogados que atuam junto ao TRF da 2ª Região, no Rio de Janeiro, estão com a pulga atrás da orelha. Em ato que dizem não ter precedente ou legalidade, a 1ª Região Militar cedeu ao gabinete do desembargador Luiz Paulo da Silva Araujo Júnior, por “interesse de serviço”, uma oficial de sua Assessoria Jurídica, a tenente Úrsula Salerno. Como tramitam no Tribunal incontáveis ações que têm como parte interessada o Exército, há litigantes sofrendo de insônia.

    Resposta
  • 30/06/2018 em 10:57
    Permalink

    O assunto é tão sério que saiu na coluna do Jornalista Ricardo Boechart……..
    https://istoe.com.br/berrou-levou/
    JUSTIÇA.
    TOGA e FARDA.
    O Exército dando um jeito para cobrir as ilegalidades (crimes) contra seus subordinados, feitos pelos Oficiais, no Tribunal de Justiça Federal 2 (TRF2) – Rio de Janeiro.

    Resposta
  • 30/06/2018 em 11:28
    Permalink

    Nada mudará! Vivam suas vidas. Lembram do filme Velozes e furiosos que gravam aqui no Brasil? Na cena que os federais encontram Dominic Toretto e Brian O’Conner, o que eles falam: “AQUI É O BRASIL!”.

    Resposta
    • 30/06/2018 em 13:59
      Permalink

      Não caiam nete papo de NADA MUDARÁ! VIVAM SUAS VIDAS. Se não lutarmos pelo nosso direito, se não corrermos atras, as coisas continuarão assim para pior.

      Resposta
      • 02/07/2018 em 19:00
        Permalink

        Sub Veio. Tenho 10 anos que fui para reserva, sabe o que vejo nesses comentários, sempre a mesma coisa: “vamos fazer algo para mudar”. Alguém fez? Alguém fará? Duvido! Deixe de perder tempo, vai fazer o que gosta com sua família, o tempo passa rápido.

        Resposta
        • 07/07/2018 em 19:39
          Permalink

          Sr Anônimo de 02/07/2018 em 19h, estamos fazendo o que gostamos amigo, só que o tempo vai passar do mesmo, se não fizermos nada. Só que já estamos fazendo, pela via judicial e pela via política, e se você continuar nessa alienação e descrença não vai ter mérito e nem participação na nossa vitória.

          Resposta
  • 30/06/2018 em 12:04
    Permalink

    Além da pouca vergonha e escândalo nas promoções dos S Ten estão agora abarrotado o judiciário com ações.

    Com que propósito esses militares estão lotados em outro poder, será que não tem serviço para eles, pelo menos dá pitaco nos processos que estão chegando aos montes na instituição chamada Exército.

    Certo que há desvio de finalidade na ida despropositada destes militares, agora, será que o MPM está atento a isso??

    Resposta
  • 30/06/2018 em 12:08
    Permalink

    No Brasil e no mundo muitos só conseguem algo se tiver um bom (sobrenome) ou QI muito elevado.

    Neste caso ambos devem ter colaborado.

    Resposta
  • 30/06/2018 em 12:22
    Permalink

    Com certeza são interesses que visam prejudicar militares que postulam algum direito na justiça!

    Resposta
  • 30/06/2018 em 18:30
    Permalink

    Tem muito mais militar no Judiciário!!! O Exército coloca esse pessoal lá para interferir nas decisões judiciais de alguma forma.
    Imoral demais…vergonhoso………..Logo você Exército Brasileiro!!!!

    Resposta
  • 01/07/2018 em 09:15
    Permalink

    Essa “promiscuidade” entre oficiais do Exército, Juízes, Promotores e Procuradores do Ministério Público Militar é uma VERGONHA !!! Todos sabemos que membros do MPM almoçam, jantam, participam de coquetéis em quartéis do Exército e, pasmem, recebem DINHEIRO por ministrarem aulas em Escolas Militares e também por fazem parte de banca de concursos militares.

    Resposta
  • 01/07/2018 em 21:29
    Permalink

    Por isso nunca votarei em general, fizeram das FAs o seu curral, aconselho todos que perderam causa neste tribunal recorrer das sentenças, com certeza foram fakes!

    Resposta
  • 06/07/2018 em 13:10
    Permalink

    Desembargador federal Aluisio Mendes é agraciado com a Medalha do Pacificador………………………………………………………………………………………………………………………………………………http://www10.trf2.jus.br/portal/desembargador-federal-aluisio-mendes-e-agraciado-com-medalha-do-pacificador/

    Resposta
  • 06/07/2018 em 13:11
    Permalink

    Juízes do TRF/2 tiveram a oportunidade de conhecer melhor o perfil e as características de nossos militares e, principalmente, os valores e os deveres de nossa profissão.
    Comando Militar do Leste, Rio de Janeiro/RJ…………………………………………………………………………………………………………………………………………………https://www.facebook.com/exercito/photos/a.178017462225190.49004.167817063245230/2112719275421656/?type=3&theater

    Resposta
  • 16/07/2018 em 19:59
    Permalink

    Não é de graça isso que o EB faz, nem é de graça as condecorações concedidas aos membros do Judiciário. São cometidas inúmeras ilegalidades na condução dos processos administrativos dentro do Exército Brasileiro. Tem que ter mesmo o judiciário como amigo, senão a justiça terá que prender muita gente de alta patente.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.