OFICIAIS DO QAO NA JUSTIÇA PELOS 30% DE ADICIONAL DE HABILITAÇÃO – O FENÔMENO DA JUDICIALIZAÇÃO DO EXÉRCITO

Oficias do Quadro Auxiliar de Oficiais – QAO estão ajuizando ações na Justiça Federal, face a medida do Comandante do Exército que concedeu aos militares habilitados ao QAO, pelo Curso de Habilitação ao Quadro Auxiliar de Oficiais – CHQAO, percentual de 30%, discriminando os oficiais do QAO mais antigos, que recebem apenas 20%, pelo Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos – CAS, habilitação então exigida. Vídeo do Advogado Flávio Tavares:

DISTORÇÃO E FALTA DE COESÃO

A discriminação dos oficiais QAO, mais antigos, que foram habilitados às suas promoções a QAO, a época por possuírem o Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos – CAS (conforme era exigência do Exército Brasileiro), em relação aos oficiais também do QAO que foram habilitados por meio do Curso de Habilitação ao Quadro Auxiliar de Oficiais – CHQAO, demonstra, mais uma vez,  distorção e a falta de coesão no Exército. Como já dissemos: “tiro no próprio pé”.

É salutar trazer à memória que o CAS, realizado até o ano de 2000 foi a exigência de habilitação para às promoções ao QAO, porém tem a sua validade até o ano de 2019 – Frise-se que às Turmas de Formação a Sargentos, anteriores a 1989, foram impedidas de realizar o CHQAO. Os militares, embriões na realização do CHQAO, em 2014/2015, passaram a receber 25% de habilitação e agora em 2017, tiveram acréscimo para 30% de habilitação, tendo como mandamentos Portarias do Comandante do Exército, que atinge a todos os possuidores do CHQAO.

O Busílis está justamente no fato de que os Oficiais do QAO, em sua totalidade, habilitados pelo CAS ou CHQAO, exercerem os mesmos Cargos e Funções, sendo que, injustamente, os mais antigos e mais experientes e que, muitas das vezes foram e são Tutores dos possuidores do CHQAO foram penalizados, por culpa exclusiva da administração, recebendo salário menor que mais modernos, em percentual significativo de 10% de diferença.

Entende-se, a qualquer nível de interpretação, porém ousamos usar a Literal-Gramatical, que, o nome Habilitação é o fator comum existente a todos para às promoções de ingresso ao QAO. Com efeito, o CHQAO tornou-se uma habilitação específica para que os Subtenentes, alcance, o que os mais antigos já possui, justamente a Patente de Oficial do Quadro Auxiliar de Oficiais. ‘NÃO EXISTE ESPECIEIS DIFERENTES DE QAO’.

COMO DEVERIA TER SIDO IMPLANTADO O PERCENTUAL DO CHQAO – “EFEITO EX TUNC”

Deveria ou poderia o Comandante do Exército, ter adotado, ao menos, que os Oficiais do QAO, habilitados pelo CAS, que tivessem o tempo mínimo de 6 meses passados no Posto de Tenente QAO ou promovido em processo regular, faz jus aos mesmos percentuais dos Oficiais QAO habilitados pelo CHQAO. Atingido a todos – “efeito Ex Tunc”.

EXCERTO DA PÁGINA OFICIAL DO EXÉRCITO SOBRE O QAO:

“O Quadro Auxiliar de Oficiais (QAO) é formado por militares que atingiram o oficialato após uma carreira como sargentos e subtenentes. Ascendendo ao posto de 2º tenente por merecimento, poderão continuar até capitão. Por seu valor e experiência na Força, desempenham funções de chefia, de assessoramento e de confiança nas organizações militares.

Outras funções privativas do oficial do QAO são encontradas no sistema de serviço militar, onde desempenha importantes tarefas nas Circunscrições e Delegacias de Serviço Militar.

A experiência a serviço da Força Terrestre

O Quadro Auxiliar de Oficiais (QAO) foi criado pelo Decreto Presidencial nº 84.333, de 20 de dezembro de 1979. Seus integrantes destacam-se, essencialmente, pelo termo “experiência”. São ex-praças oriundos de Armas, Quadros e Serviços, hoje tenentes e capitães.

Essa distinção é fruto de reconhecimento de méritos incontestáveis; é respaldada por destacadas qualidades pessoais e pelo profissionalismo evidenciado diuturnamente por esses militares, e pelo apego a uma vida que exige espírito de sacerdócio e inabalável vocação castrense.

Os oficiais QAO exercem diferentes funções em atividades das áreas de Administração Geral, Material Bélico, Músico, Topógrafo, Serviço de Saúde e Auxiliar de Estado-Maior Pessoal.

O patrono do Quadro Auxiliar de Oficiais é o Tenente Antônio João”.

O FENÔMENO DA JUDICIALIZAÇÃO DO EXÉRCITO

A cada dia tornar-se mais evidente que a Instituição Exército Brasileiro, tem sido colocada à prova, no fenômeno que ousamos chamar: “Judicialização do Exército Brasileiro”. Isso justamente é o mais preocupante por alguns aspectos: 

  1. O Militar em si, já é mal remunerado, e ainda ter que buscar na justiça direito que lhe é devido, justamente contra a Instituição que aprendeu a Amar e Defender com a própria vida, pior, no final da Carreira?

       2. A Mágoa e doenças que levará da Caserna para a Reserva? 

  1. Não seria mais coerente corrige-se e evitar-se enxurrada de processos judiciais?

 LEMBRANDO-SE DAS PALAVRAS DO GENERAL CATÃO

 Há algum tempo atrás, o Gen Ex R1 CATÃO, em Carta aberta, se mostrava preocupado, ditando que o Exército Brasileiro estava totalmente dividido entre Oficiais e Sargentos, ditando pela falta de Coesão e Confiança.

 General, o momento é pior. Atualmente a falta de Coesão não seria apenas essa. Existe evidente inconformismo e desavenças veladas entre: 1) Oficiais da AMAN X QCO, 2) QAO com CAS X QAO com CHQAO, 3) Sargentos de Carreira X Sargentos do QE, 4) Subtenentes Preteridos X Subtenentes Promovidos, além da rivalidade tardiamente apresentada por CATÃO!

 PROPOSTA DE LEI COMO SOLUÇÃO DEFINITIVA – Percentual do CHQAO – (PROPOSTA DE LEI – CLICK)

 Apresentamos solução definitiva que pode advir justamente por mudança na Lei de Remuneração dos Militares  por meio de Proposta de Lei Ordinária. 

49 comentários em “OFICIAIS DO QAO NA JUSTIÇA PELOS 30% DE ADICIONAL DE HABILITAÇÃO – O FENÔMENO DA JUDICIALIZAÇÃO DO EXÉRCITO

  • 10/11/2017 em 16:27
    Permalink

    Espero que o EB nao invente de “igualar” retirando os 30% de quem fez o CHQAO, ao invés de pagar a quem não fez. Vindo de nossos comandantes, não duvido nada…

    Resposta
  • 10/11/2017 em 16:38
    Permalink

    Como é a divisão de castas entre os oficiais:
    01) oficiais QEMA de infantaria e cavalaria; 2) demais oficiais QEMA; 3) oficiais manga lisa de infantaria e cavalaria; 4) demais oficiais manga lisa da AMAN; 5) oficiais QCO; 6) oficiais temporários de CPOR/NPOR; 7) oficiais técnicos temporários (OTT), e por fim 8) oficiais QAO.

    Resposta
  • 10/11/2017 em 21:00
    Permalink

    Oficiais tem tudo. Possuem todos os direitos e suas promoções ate o posto de coronel são por merecimento e antiguidade. Oficiais Possuem Lei de Promoções. Já os praças possuem vários direitos retirados pelo governos com as bençãos dos oficiais. Praças não possuem lei de promoções, e sim portarias que mudam a todo tempo para prejudicar, de acordo com gosto do general que as faz. E antes que venha um Deus aqui desdenhar de praças, somos concursados como eles, trabalhamos como eles, e na verdade muito mais que eles (fazemos tudo pra eles). Não somos escravos e nem serviçais. Oficiais não pagam nossos salários e sim o governo.

    Resposta
  • 11/11/2017 em 00:07
    Permalink

    Muito boa matéria trazida pelo Messias Dias, e nunca me esqueço de quando eles efetivamente deram início aos estudos e as discussões para dar início do CHQAO, eu estava na antiga DFA, em 2010, hoje DESMil onde havia dúvidas sobre quais turmas que teriam que realizar o CHQAO, então digo que começaram errada essas discussões, pois começaram por discriminar, em vez de dar oportunidade para todos e quem quisesse se inscrever, ou seja esse “tiro no próprio amigo”, já começou desde o início. E desse modo podemos ver como é tratado esse seguimento pela cúpula do EB. Infelizmente se não houver uma diretriz ou portaria interna do próprio EB para pacificar o tema, só temos duas opções, uma a mostrada pelo Ten Messias Dias, um projeto de Lei que estenda o percentual de 30% a todos os oficiais e Subtenentes que fizeram CAS e CHQAO abrangendo a todo o universo prejudicado. E o outro caminho é a Justiça, e essa já está sendo encaminhada. Gostaria que a cúpula do EB se auto corrigisse tirando esses subtenentes e Oficiais do gueto da exclusão, simplesmente por não terem culpa por decisões do Cmdo que os excluíram sem lhes ter dado oportunidade de realizar tal curso, até porque durante muito tempo os subtenentes iam até o posto de capitão do QAO somente com o CAS.

    Resposta
  • 11/11/2017 em 20:57
    Permalink

    Olha eu recebo 20%, caso eu conclua o CHQAO vou passar a receber + 10%, então porque falam em 30% se a referida habilitação só paga 10%?

    Resposta
  • 11/11/2017 em 21:03
    Permalink

    Outra questão neste país que tanta gente mete a mão é porque eu quero receber por algo que eu não fiz. A nossa briga deveria ser para que a maioria dos Sargentos de carreira chegasse a cap, pois essa era a expectativa que o edital do concurso previa.

    Resposta
  • 11/11/2017 em 21:15
    Permalink

    “Existe evidente inconformismo e desavenças veladas entre: 1) Oficiais da AMAN X QCO, 2) QAO com CAS X QAO com CHQAO, 3) Sargentos de Carreira X Sargentos do QE, 4) Subtenentes Preteridos X Subtenentes Promovidos”
    No caso das desavenças entre os senhores oficiais nada posso dizer, entre os sgt de carreira x QE… quando tivermos algum representante no congresso, talvez tenhamos um pouco de voz… já entre ST preteridos e ST promovidos a questão em minha humilde visão passa quase que exclusivamente sobre transparência… todo mundo aqui já sabe sobre a caixa preta da famigerada comissão de promoção, ninguém sabe ninguém viu, não falo nem por mim, mas um companheiro de OM que é praticamente unanimidade em trabalho, dedicação, competência,com conceito lá em cima no SGD, não está impedido, mas só figura no QA nos últimos lugares e ainda consegue vibrar no final da carreira, como um sujeito desse a força não aproveita nem justifica a negativa?

    Resposta
  • 12/11/2017 em 00:25
    Permalink

    A filosofia de Gramsci entrou no Exército com força. Objetivo: enfraquecer e desmoralizar as FFAA.

    Resposta
  • 12/11/2017 em 01:28
    Permalink

    Boa noite, infelizmente terá que ser via judicial esperar igualdade nos ciclos e como esperar que o leão não vai te atacar. Com os QE mesma coisa fizemos o concurso, o curso, o cprep cas , o caso é agora concurso CHQAO e o curso CHQAO e corremos o risco de morrer Subao. O QE vai sair Sub sem nada só a provinha de CB? Muita injustiça combo praça de carreira.

    Resposta
  • 12/11/2017 em 01:48
    Permalink

    Vão tomar no Kulll. A arma que mata sargento tem estrelas no cano. Ainda não aprenderam? Então babem os ovos.

    Resposta
  • 12/11/2017 em 03:01
    Permalink

    Messias Dias. Responsável por vários primos conquistados para o Colégio Militar de Brasília. Época que o Cel kasper depositava toda confiança no nobre amigo. Parabéns por elucidar a todos da força essas falhas que infelizmente acontecem na nossa Instituição. Vamos lembrar os 28% que o STF determinou o pagamento.

    Resposta
  • 12/11/2017 em 11:51
    Permalink

    Bom dia, estou tentando desabilitar uma coisa que não habilitei e não existe, ou seja dependende ( filha), ja entrei com advogado, fui ao promotor público federal e simplesmente informam que não tem jeito. Se alguém puder dar um caminho ficaremos agradecidos.

    Resposta
  • 12/11/2017 em 15:52
    Permalink

    Um QE chegar a ST, que é a mesma graduação que o Sargento de Escola tem a garantia de chegar; é a mesma coisa de permitir que o Sgt de Escola possa chegar ao Posto de Coronel; último posto ao qual os Oficiais da AMAN têm a garantia de chegar.
    Salvo melhor juízo.
    (Nada contra os QE, em sua maioria excelentes profissionais – mas cada Carreira é uma Carreira; com suas diferentes exigências: preparo intelectual, grau de responsabilidade, atribuições, funções exercidas, etc

    Resposta
  • 12/11/2017 em 16:11
    Permalink

    Eu acho que o pessoal se preocupa demais com salário!
    Os 30% foi pago a mais pra quem fez um curso a mais!
    Agora quem não fez curso quer também?

    Resposta
    • 08/03/2018 em 22:53
      Permalink

      O problema é que “esses que não fizeram”, não tiveram a oportunidade de fazer. Entende Carlos, não lhes foram dada nem OPÇÃO de escolha. Muitos queriam fazer o CHQAO, mas foram impedidos. Esse fato aliado a tudo aquilo que o Messias expôs, é onde reside a questão judicial.

      Resposta
  • 12/11/2017 em 17:33
    Permalink

    Boa tarde.
    Gostaria de mais informações a respeito dessa ação a ser proposta no Judiciário. O Valor que devo pagar? Enfim, todos os detalhes, a fim de que possa entrar no Judiciário, para mais uma vez solicitar um direito.
    Att

    Resposta
  • 12/11/2017 em 18:38
    Permalink

    Vamos lá!!hoje sou Cap QAO, função de chefia, cujo meu adjunto é um 2 Ten QAO adjunto, que fez um curso EAD, recebe um adicional maior que o meu, é sinceramente vai ter que colar comigo pra aprender muito pois tá fraquinho.

    Resposta
    • 28/02/2018 em 13:37
      Permalink

      acho que V Sa deveria ter mais respeito com seu subordinado. o seu conceito de fraquinho pode ser o mesmo que Ele tem com relação ao Sr no cargo de CHEFIA que ocupa. o fato dele receber mais não o insere como responsável por isso. o alegado 2º Ten QAO FRAQUINHO cumpriu o regulamento. essa ira da parte de V Sa deveria ser direcionada ao Cmt da Força ou a quem julgar de direito. se houve um erro é administrativo.

      Resposta
  • 13/11/2017 em 13:28
    Permalink

    Eu já entrei na Justiça, sou o “PIONEIRO”, não percam tempo.
    Nem perguntaram se eu queria fazer o tal CHQAO.
    O CHQAO que é para você lidar com Finanças, Pessoal e Logística, já o fazia quando era 2º Sargento sem CAS.
    Isonomia, colocaram a carroça na frente dos burros…
    Tiro no próprio pé.

    Resposta
    • 11/05/2018 em 17:14
      Permalink

      Tenho interesse companheiro, também não tive a oportunidade, manda algum contato do seu advogado.
      Abraço.

      Resposta
  • 13/11/2017 em 23:07
    Permalink

    o que eu vejo aqui é muito mimimi….o cara fala de “provinha”, faça- me o favor! seja inteligente!! Só queremos isonomia entre os colegas de outras forças, na verdade…to cagando pra vocÊ! e você e tantos outros com medinho de os QEs entrafrem no quadro de vcse atrasarem ainda mais a promoção e ficarem mais um tempo babando os bagos de oficiais! pura verdade!….outro dia o cara falou aqui que QE nao assume reserva de materia, não faz sindicancia etc…..coloca sindicancia na mao do QE! e ja vi tanto QE assumir reserva de material! então para de se diminuir! siga sua carreira ! e deixa os QEs em paz, somos um quadro a parte e em nada atrapalharemos sua “brilhante” carreira…só queremos uma vida digna como nossos amigos das outras forças!! Seja homem, e se não está satisfeito, existem artigos que te dão direito de pedir demissão, tente concurso publico no mundo ai fora, e taçvez pare de reclamar da vida e dos QEs, que nada tem a ver com seus problemas com suas promoçoes e babações…

    Resposta
    • 25/02/2018 em 13:42
      Permalink

      Acho importante cada um olhar p a sua carreira, evitando as comparações (AMAN, QEM, QCO, Sgt Cerreira, QE). Que as carreiras sejam melhores, observadas as “regras do jogo”, as quais exigem requisitos mínimos, p a ascensão às promoções. Por isso, torna-se difícil alteradas. A verdade sobre o CHQAO é q havia poucos q gostaria de fazê-lo, pois n havia nenhum diferencial financeiro. Passou a ser “interessante” após o diferencial do adc hab. Esta é a verdade!

      Resposta
  • 14/11/2017 em 00:57
    Permalink

    Tem mais um agravante: Em 2001 foi realizada a seleção inicial para um CH para ST (todos ST promovidos até tal data) e mandaram suspender. No ano seguinte, foi feito, novamente, a seleção inicial e daí, mandaram cancelar. Basta olhar os BE da época. Se tivessem realizado o curso, hj não haveria está polêmica.

    Resposta
  • 15/11/2017 em 22:29
    Permalink

    Enganan-se àqueles que dizem que Bolsonaro não conseguiu nada para a nossa Classe, pois a razão dele se lançar na política, foi justamente com esse objetvo. Em 1986, ao reclamar do silêncio das autoridades, sobre a reportagem da Revista Veja, que propagava que o êxodo de Cadetes da AMAN era devido à tóxico e homossexualismo, ele se expôs dando uma entrevista na mesna Revista, dizendo que o verdadeiro motivo era o aviltamenti dos salários dos militares. Isso custou-lhe uma punição e outros desdobramentos na sua carreira. O Min do Exército promoveu uma reunião no CMVM, da qual eu participei, após muitas palavras e comemorações, declarou que a partir daqueke dia, o Aux Moradia, dobraria de valor. Portanto foi o primeiro efeito da atitude desse militar que é repudiando por muitos seguimentos da sociedade e da imprensa. Porém é o unico candidato limpo e puro para enfrentar os corruptos e comunistas deste pais.

    Resposta
    • 25/02/2018 em 13:16
      Permalink

      👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻🇧🇷🇧🇷

      Resposta
  • 18/11/2017 em 22:42
    Permalink

    O que falta em nossas fileiras é UNiÃO.

    Resposta
  • 25/11/2017 em 18:16
    Permalink

    …Cavalheiros!
    Acho bem estranho essas discriminações todas no âmbito da Força Terestre. Oficais contra praças, Aman x QCO – CHQAO x CAS isso é bem semelhante a regimentos ditatoriais onde a primeira coisa que fazem é achar uma jeito de se dizer superiores. Superiores em que? Em inteligência? E acaso os militares em questão acham que são mais inteligentes que os outros? E ainda querem dizer que isso é um Exército? Acho que é falta do que fazer, problemas mais sérios para resolver. Foi por causa desse sentimento de se achar superior que vivemos 300 anos de escravidão, abolida com muita dificuldade. Não esqueçam senhores o túmulo espera a todos, veremos se haverão vermes diferentes para consumir os corpos dos que se dizem “melhores”

    Resposta
  • 06/12/2017 em 13:21
    Permalink

    Tem uma ilegalidade nesta frase:

    “É salutar trazer à memória que o CAS, realizado até o ano de 2000 foi a exigência de habilitação para às promoções ao QAO, porém tem a sua validade até o ano de 2019.”

    Pelo que entendi o CAS habilitava a QAO até 1999 e após essa data é o CHQAO que habilita para exercícios das funções e cargos de Oficial QAO.

    Entendoas qual o amparo legal para promoverem os militares sem habilitação a QAO (a partir do ano de 2000) e não promover o pessoal habilitado ao cargo, uma vez que estão protegidos legalmente por legislações em épocas diferentes.

    Isto pode resultar em improbidade administrativa no Comandante do Exército, por ter promovido o pessoal sem a qualificação para o cargo e deixando de promover o pessoal qualificado.

    Isso vai ser interessante de ver no judiciário.

    Resposta
  • 07/12/2017 em 23:50
    Permalink

    O interessante que nessa decisão judicial o próprio Exército cita a obrigatoriedade do CHQAO para promoção à QAO para turmas de formação a partir de 1990.

    Da forma que está somente poderiam ser promovidos a QAO os militares formados até 1989 e o os militares com o CHQAO a partir de 1990, o que não está ocorrendo, pois estão promovendo militares a partir de 1990 sem CHQAO.

    Dos fatos que estão ocorrendo, existe a possibilidade do Comandante do Exército, Ministro da Defesa ou o Presidente da República, ser processado por improbidade administrativa por violar os princípios da administração pública.

    Movimentação do processo 0111070-57.2017.4.02.5101 do dia 12/09/2017

    “Quanto ao pedido de acréscimo de 5% a título de CHQAO, melhor sorte não possui o autor, uma vez que o Exército informou que o autor só possui o Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS) que tem natureza jurídica diversa do Curso de Habilitação ao Quadro Auxiliar de Oficiais (CHQAO), cursos que possuem, além do conteúdo programático, carga horária diferente, sendo de 622 h/aluno para o CAS e 1.000 h/aluno para p CHQAO (fls. 1035/1036).

    Ademais, o Exército esclareceu que, por decisão administrativa, a turma de formação de sargentos do autor (1988) não foi abarcada para concorrer ao concurso e que, na verdade, as turmas de formação
    anteriores a 1990 foram beneficiadas com a possibilidade de terem o CAS considerado como requisito
    essencial em substituição ao CHQAO, em detrimento de turmas posteriores que deverão obrigatoriamente ser aprovadas em concurso de admissão ao CHQAO e concluir o curso com aproveitamento para ficarem
    habilitadas a concorrer às promoções ao posto de Segundo Tenente.

    Conceder o adicional de 5% a título de CHQAO para militares que não realizaram o CHQAO e que só possuem o CAS, como é o caso do autor, violaria o princípio da isonomia com relação aos militares que
    obrigatoriamente devem concluir o curso com aproveitamento para poderem receber o referido adicional.

    Destarte, o autor não faz jus ao adicional, uma vez que não realizou o Curso de Habilitação ao Quadro Auxiliar de Oficiais (CHQAO).”

    Movimentação do processo 0111070-57.2017.4.02.5101 do dia 12/09/2017

    https://www.escavador.com/diarios/545498/TRF2-SJRJ/judicial/2017-09-12/254872665/movimentacao-do-processo-0111070-5720174025101

    LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992.

    Dos Atos de Improbidade Administrativa que Atentam Contra os Princípios da Administração Pública

            Art. 11. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições, e notadamente:

            I – praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto, na regra de competência;

    Resposta
  • 28/12/2017 em 03:21
    Permalink

    Primeiro lugar, onde eu entro na justiça para os meus direitos?
    Justiça grátis, pequenas causas ou pago um advogado?
    Quem souber informe pelo e-mail, trindadecorretordeimoveis@gmail.com ou (61) 98442-2246.
    Segundo lugar porque o Exercito não chama os QAO e façamos uma provinha para receber os 10% a mais?
    Terceiro lugar, se os QE chegarem a subtenente, vão querer fazer a provinha para sair 2º Tenente, depois 1º tenente, Capitão. Adeus EsSA!

    Eu entrei contra o Exercito, através do Sgt Genivaldo presidente da AMARP-DF.
    O FUSEX estava nos passando a perna, para não dizer roubando.
    A ações dependendo do posto ou graduação, no meu caso 2º tenente, eu ia receber R$ 6.000,00.
    Um juiz parou a ação.
    Outro reabriu e no final recebi R$ 1.700,00 era pegar ou largar, peguei. Dei uma parte para a advogada da AMARP-DF e a outra parte fiquei para botar gasolina no carro.

    Resposta
  • 28/12/2017 em 03:28
    Permalink

    Quem lembra que certa ocasião o Exército queria que os subtenentes tivesse o nivel superior para ser promovido a 2º tenente.
    Esta idéia não vingou.
    Como fazer o nível superior um subtenente por exemplo com 3 anos de subtenente ou mais com CAS e prestes a ser promovido a 2º tenente.
    Quando concluísse o curso superior já estava na hora de ir para a reserva, até como subtenente.
    O Exercito desistiu da idéia.

    Resposta
  • 31/01/2018 em 06:58
    Permalink

    Em primeiro lugar queria dizer, para conhecimento de todos, que a última turma de Sgt QE que estabilizou foi do ano de 1992. Caso os militares continuem indo para a reserva com 30 anos de serviço esta discussão sobre a promoção a subtenente acaba em 2022. Portanto, hoje, acho que não é o caso ficarmos debatendo sobre o tema. Acho justo a promoção do Sgt QE a subtenente até porque os poucos que ainda estão na ativa são exceção à regra. Sou QAO e não realizei o CHQAO pois na época não seria necessário para ser promovido. Na verdade a implantação do CHQAO se fez necessário devido a FT 90 que criou a famosa “BOLHA”. Ou seja, o Exército não teve visão de futuro naquele momento, pois, mais uma vez, a falta de assessoramento e planejamento por parte da nossa instituição nos levou a toda esta situação atual. Torço para que algum chefe tente pacificar esta questão, o que é possível, basta querer. O grande problema é que a instituição infelizmente não sabe dar o braço a torcer e reavaliar decisões inconstitucionais. A humildade é a qualidade mais admiradas nas pessoas e é o que falta nos nossos chefes.

    Resposta
    • 27/02/2018 em 07:56
      Permalink

      Excelente, claro, preciso e conciso.

      Resposta
  • 06/02/2018 em 23:14
    Permalink

    Aí é fácil um Anônimo, dizer-se oficial, e apoiar os sargentos QE a promoção a ST. Na Aeronautica e no Exercito, os sargentos da EsSA tem que fazer o CPCAS e ser aprovado no CPCAS para fazer o CAS, que são quatro meses. Tem sargentos que são reprovados até no CPCAS. Concluido o CAS ele poderá ser promovido a 1º Sargento, ST e Tenente.
    Como pode um Sargento QE, sem segundo gráu, sem CPCAS, CAS, querer que o promovem a ST. Se der a mão, vão querer o pé, vão brigar para ser Tenente QE.
    Conheci um 2º Sargento, que não quis fazer o CAS e morreu como 2º Sargento.
    Como os QE querem ser Subtenente?
    Quem apoia esta idéia, são militares sem noção.

    Resposta
  • 24/02/2018 em 21:24
    Permalink

    O bizu é entrar na conversa do blogueiro politico e do advogado que financia seu blog, gastar dinheiro com causas que você nunca vê ninguém ganhar e receber, gastar dinheiro patricinadores dos blogues.

    Resposta
    • 25/02/2018 em 14:58
      Permalink

      Inclusive pode ingressar no Juizado Especial Federal, sem “Adevogado”.

      Você tá fazendo esse trabalho sujo, seu nojento.

      Resposta
  • 25/02/2018 em 12:47
    Permalink

    A regra é clara: CHQAO=30% adc hab. CAS=25%. N gastem dinheiro à toa c adv e nem caiam nas lábias dos aproveitadores.

    Resposta
    • 25/02/2018 em 14:56
      Permalink

      Você trabalha para quem seu babão?
      Tem que entrar na Justiça mesmo.
      Ou você quer que confie nos mesmos que fizeram a LRM.

      Resposta
      • 26/02/2018 em 13:58
        Permalink

        Olha o respeito companheiro. Vamos procurar manter a boa convivência.

        Resposta
    • 25/02/2018 em 15:00
      Permalink

      Não tem regra nenhuma.
      Quem jáera QAO não pode receber menos do que QAO que fez CHQAO, cujo o TUTOR foi o QAO antigão.
      Você fez curso para atingir o que eu já sou.

      Resposta
      • 26/02/2018 em 14:13
        Permalink

        Opinião cada um tem a sua. Caso queiram dar dinheiro p adv, eu mesmo posso indicar um excelente a vcs.

        Resposta
  • 26/02/2018 em 15:02
    Permalink

    Prezado Alex,
    Boa tarde.
    Entendo a sua preocupação, porém há sim amparo.
    Os Oficiais da EsAO, foram sim respeitada regra de transição.

    Resposta
  • 27/02/2018 em 05:15
    Permalink

    Realmente esse questionamento sobre o CHAQAO e pertinente pois sou da turma de 87 e fui para reserva como Subtenente e na ativa fiz um requerimento para fazer este curso para adquirir pontuação no ficha de valorização foi indeferido e depois ainda recebo a noticia que quem fez recebe 30% peli curso ( assim entendo que fomos punidos por sermos de turmas anterior a 1990) punido no bolso que é o pior….

    Resposta
  • 10/03/2018 em 23:25
    Permalink

    Incoerência total, quem realiza um doutorado de verdade e não um curso equivalente recebe o mesmo porcentual.

    Resposta
  • 13/03/2018 em 19:53
    Permalink

    Lembro aos amigos que o CHQAO é obrigatório para as turmas a partir de 92, as turmas de 90 e 91 foi opcional, e por ser opcional muitos não realizaram o CHQAO, porque na época não acrescia os 10%. Mudaram o jogo e não deram a opção aos de 90 e 91 de realizar o CHQAO.

    Resposta
  • 27/03/2018 em 10:32
    Permalink

    Só restou alguém dizer que os que hoje possuem o CHQAO, também possuem o CAS e ainda com agravante pois em 2004, quando minha turma realizou, passou a ter mais disciplinas inclusive com o adendo de “Sindicâncias” entre outras. Nos foi exigido um CA para realizarmos posteriormente o Curso e foram necessárias várias horas de estudo da parte teórica e depois a realização de Estágio Supervisionado, somando 1.600 h. E hoje além do justo percentual de 10% no adicional de habilitação, também é reconhecido como Curso Superior com o Título de Tecnólogo em Gestão Pública.
    Sinto muito mas só vejo com decepção os militares mais antigos que não possuem o CHQAO nesta choradeira para ver igualado o Adicional de Habilitação. CAS é uma coisa CHQAO é outra, aceitem que dói menos! ST 93.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.