CARREIRA DOS SARGENTOS EM “3 D”: DESMOTIVAÇÃO, DESATRAÇÃO E DESRETENÇÃO – FALA MOURÃO?

O INFORMEX 036, de 28 de novembro de 2017, do Comandante do Exército “mais humano” apresentou, após mais de 2 anos de Altos Estudos do Comando da Força e Praças Adjunto do Comando, o Plano de Carreira em “D” ou “L” dos Sargentos – fácil de  completar a palavra. Certeza; duro golpe aos QAO e Graduados, com caminho aberto para a extinção do QAO e Quartéis de Sargentos Temporários – Resposta ao “Tenentismo das Praças”.  ‘INFORMEX Nr 36 – Plano de Carreira Praças – LEIA A ÍNTEGRA’

ADEQUAÇÃO DA CARREIRA DOS SARGENTOS A REFORMA DA PREVIDÊNCIA – “IN MALAM PARTEM

Vocês, Subtenentes e Sargentos, no fundo no fundo, estavam receosos ou em profundo desespero, com assombros de que algo ruim estaria por vir e acontecer. De outro lado, os Oficiais QAO, possuidores do CHQAO, esperavam até Promoção a Major QAO.

Perfeição – Legião Urbana”.

1. Promoções de Tenentes QAO por Merecimento – o mais perfeito desrespeito e discriminação. Então a Lei de Promoções de Oficiais mudará para manter o cabresto, ou melhor, o QAO não é Oficial e sim – como muitos dizem – “Praça melhorada”. Todos os Tenentes do Exército Brasileiro, de Carreira e Temporário, permanecerão promovidos por Antiguidade, assim, apenas os idosos QAO, passarão a correr atrás de pontos – Enxergaram a Cena do Oficial QAO pedindo conceito e assando uma carninha para o Chefe? O EXERCITO QUANDO DITA QUE OS OFICIAIS DO QAO TRADUZ EXPERIÊNCIA E CONFIANÇA AO COMANDO SERIA MAIS UM EMBUSTE?

2. Ingresso ao QAO em média 27 anos, após a formação, passando menor tempo nas Graduações de Sargentos – parece brincadeira, essa aritmética não fecha. Até chegar a Subtenente, provavelmente, terá uma média de 24 a 25 anos de serviço como Sargento – Realmente o Oficial não sabe o que são 25 anos de Serviços no Lombo, diga-se como Praça. Serão 8 anos, basicamente, em cada Graduação, chegando ao QAO com 29 ou 30 anos de tempo de serviço – DOLOROSO!

3. Curso de Habilitação ao QAO – CHQAO x Curso Auxiliar de Administração – CAA – com todo o respeito, não passa de tentativa desastrosa de buscar corrigir, de forma distorcida o erro. O QAO mais antigo, que realizará o CAA, para ter habilitação de 25%, exercem as mesmas funções e cargos do QAO com CHQAO, que recebem 30% de habilitação. Diga-se, que os primeiros, antes de tudo são mais antigos e foram tutores dos mais modernos. É a total inversão de valores, pois quando se criou o CHQAO, na bendita Portaria, deveria constar que os Oficiais do QAO seriam considerados habilitados, aos mesmos percentuais, uma vez já estarem habilitados com as suas promoções – ISONOMIA – EQUIDADE!

4. Média de 70% de militares de uma mesma turma chegarão ao QAO, com 4 chances no CA-CHQAO, com sarrafo mais pesado – Os ditos 30% que não serão promovidos passarão 10 anos, em média, como Subtenentes e isso fere as Normas em curso, pois a Ascensão Profissional não deve levar mais de 9 anos. Observado ainda, que aos Praças não são oportunizados tempos de Estudos, similares ao que ocorre para o concurso a ECEME, então, a consequência será, provavelmente, que bem menos de 70% obtenha aprovação – QUEM VIVER VERÁ!

5. Política de aumento para ter mais de 50% de Sargentos Temporários – A passos largos caminha-se para o fim do QAO. Agora, já que vão reduzir drasticamente o número de Sargentos de Carreira, qual o motivo de não se ter um Plano de Carreira linear a todos os Sargentos, observado a Meritocracia. Diga-se ter Méritos ao longo da Carreira e não o receber por arbítrio de uma Comissão – Meritocracia é a Valorização do Mérito + Todas as Avaliações sofridas ao longo da Carreira – CABRESTO!

6. Curso de Formação de Sargentos – CFS, como Tecnólogo, Curso Esp Básica – CEB, com percentual de Especialização, Promoção por Antiguidade única a 2º Sargento, para todos de uma mesma Turma de Formação e Cursos Operacionais até o Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos – CAS e Administrativo, depois do CAS – essas são as medidas que se acredita oportunas e que realmente garante algum aspecto de melhoria e valorização. Porém, per si, não manterá os Sargentos, pois a Carreira continuará tortuosa e, muitos, farão da Carreira trampolim – AGUARDE!

LEI DE PROMOÇÕES AO QAO É A SAÍDA – CADÊ MOURÃO? 

A única verdadeira medida é ter Lei de Promoções ao QAO, que garanta equilíbrio e, principalmente, segurança para exercer a Carreira das Armas, com todo o afinco, dedicação, Amor a Pátria e as Instituições, com a tranquilidade que não haverá traição e divórcio, justamente no final da carreira – AS PRAÇAS NÃO OUVIRÃO A DESTEMIDA VOZ ADVINDA DO MOURÃO EM SUA DEFESA? 

Observe que não ocorreu, ainda, mudança nas Promoções dos Tenentes QAO para “Promoções por Aborrecimento”, pois depende de Lei e Lei Parceiro é Congresso – Congresso precisa de Voto – Lembrem-se disso 

12 comentários em “CARREIRA DOS SARGENTOS EM “3 D”: DESMOTIVAÇÃO, DESATRAÇÃO E DESRETENÇÃO – FALA MOURÃO?

  • 30/11/2017 em 18:20
    Permalink

    Devemos fazer o que estiver ao nosso alcance e dentro da legalidade

    Resposta
  • 30/11/2017 em 12:05
    Permalink

    Situação difícil, um STen 91 ver o STen 92 ser promovido em sua frente e trabalham na mesma OM e na mesma Seção.
    Que situação VEXATÓRIA!
    Passar a chamar o companheiro mais moderno de senhor todos os dias, HUMILHANTE…
    E ainda somos chamados de RETARDATÁRIOS e REMANESCENTES…
    Enquanto isso os oficiais OTT (Tenentes MIOJO) viram nosso chefe em 40 dias… COMO PODE ISSO?
    Deus fará justiça!

    Resposta
  • 29/11/2017 em 21:36
    Permalink

    A verdade é, que como sempre foi, o exército só contingência na carreira dos praças, nos interstícios, nos salários e agora no QAO. A verdade é que não ser promovido a oficial, o problema e ser aposentado como oficial. Temos que passar pelas mesmas situações que oficiais, transferências e missões, porém com ajuda de custo em transferências muito inferior, temos salário muito inferior e ainda assim, temos que manter o mesmo padrão que oficiais. só não podemos ser oficiais.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 18:37
    Permalink

    Os Subtenentes do Exército das turmas 91 e anteriores foram abandonados pela Instituição para a qual se comprometeram a servir por 30 anos ou mais, com dedicação e, se preciso fosse, a sacrificar a própria vida pela Nação. O abandono e o desprezo são tantos que, doravante a própria Instituição passou a chamá-los pela alcunha de “retardatários”, termo, este, bastante pronunciado pelas autoridades militares nas inúmeras palestras sobre política de pessoal do EB. Ora, senhores, pelo que sei quem tem alcunha é bandido e não profissionais com mais de 27 anos de serviço, pais de família e cidadãos cônscios e cumpridores de seus direitos e obrigações.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 15:32
    Permalink

    Hipócritas são os chefes no EB, querem que nos dediquemos e no final nos deixam a míngua………sobre o Mourão !!! kkkk…..lutou pelos QCO com seus Diex, mais estes hipócritas não lutam por seus praças.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 13:04
    Permalink

    Com tudo isso acontecendo, e eles se preocupam logo com a carreira do Quadro Especial.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 12:55
    Permalink

    Com tudo isso acontecendo, e eles se preocupam logo com o Quadro Especial.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 11:53
    Permalink

    Acredito que somente com representação no congresso veremos algo no horizonte. Ao invés de ficarmos reclamando vamos tirar nosso título de eleitor, vamos eleger quem nos represente no congresso e por último vamos votar em alguém que represente nossa classe. Vamos acordar!!! Categoria nenhuma sem representante no congresso consegue melhorias.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 11:29
    Permalink

    Cabe ressaltar que a mudança da Lei para “prejudicar” é inconstitucional, ou seja, a Lei não pode retroagir, no caso da mudança na promoção por merecimento para os QAO.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 09:12
    Permalink

    Eu particularmente não acho que nenhum general vai dá fim nesta bestialidade que está acontecendo com a grande maioria dos S Ten, por que todos eles têm o mesmo pensamento, a tropa é massa de manobra e passaram pelos mesmos centros de ensino. Penso que os militares deveriam ter associações fortes para lhes representar.

    É fácil um 4 estrela chegar e falar algo e ainda ser aplaudido pelo gado; gostaria de ver um 3 estrela, ou um Brigada, ou mesmo quem sabe um coronel estes estariam com a cabeça a prêmio. E, não aspirariam a nada mais.

    Resposta
  • 29/11/2017 em 06:57
    Permalink

    É lamentável tudo que tem ocorrido aos praças do EB nos últimos 20 anos. Daqui a mais alguns anos deixaremos de ser um exército profissional para sermos um exército de temporários. Se querem extinguir o QAO, então que ao menos igualem o soldo de Subtenente antigão ao de Capitão, além de algumas prerrogativas que os oficiais têm como direito a quarto privado em hospital, por exemplo. Não faço questão de estrelas, espada, participar de REPON (reunião para resolver porra nenhuma) ou tirar serviço de oficial de dia; o que quero é poder proporcionar uma vida um pouco mais digna para minha família.

    Resposta
    • 07/02/2018 em 20:13
      Permalink

      Onde o Exército é profissional, no Brasil?
      Pelo que conheço, nosso Exército é profissional somente no nome, por ex.: o Sd só enganja se fizer algo na seção (em alguma delas), nunca em quase 30 anos de serviço vi um sd enganjar por ser sd, por ser apenas soldado.
      Inteligência, é uma piada, não deixam trabalhar, e não apoiam, desviam para outras funções cumulativamente claro.
      Fomos transformados em funcionários públicos fardados.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.