PROMOTOR, EX-SARGENTO E EX-OFICIAL QCO, ESCANCARA CORRUPÇÃO NO EXÉRCITO – ALERTA NA RACE!

O Silêncio dos muros dos quartéis ajuda a corrupção e abusos, pela falta de controle da sociedade?

QUEM É O PROMOTOR E  O QUE TEM REALIZADO?

O Promotor, do Ministério Público Militar da União, EDMILSON PIRES, foi Sargento e Oficial QCO de Direito do Exército. Conhecedor das artimanhas dos Corruptos das Forças Armadas, que se aproveitam dos Altos Postos e suas Prerrogativas, além do medo de Subordinados e do bom nome das Instituições Militares, o ilustre membro do Parquet vem realizando trabalho exemplar, com coragem, independência e até então com resultados inéditos, pois as denuncias que encabeça do MPM, têm alcançado peixes grandes, Oficiais Superiores, batendo às portas do Generalato – Assim ocorreu no caso de corrupção no Instituto Militar de Engenharia – IME, Hospital Central do Exército – HCE e agora no Departamento de Engenharia e Construção – DEC.

PROMOTOR É COMPARADO A SÉRGIO MORO PARA OS MILITARES

O Promotor que é Casado com a Major do Quadro Complementar de Oficiais – QCO do Exército, ELISA DE MATTOS SOUZA, já na Reserva e que fontes, informam ter sofrido fortes retaliações, não se intimida e realiza as suas atribuições com total independência.

O Procurador Geral do Ministério Público Militar, Doutor Jaime Miranda, já relatava que a corrupção também atinge às Forças Armadas, ditando que instalou Força Tarefa no Parquet, uma vez entender que não existe pessoal especializado nos quartéis para combater esse Câncer, além do corporativismo, implícito. Exemplificou nos casos de Oficial General investigando outro Oficial General e Oficial Dentista investigando outros Oficiais Superiores – Em suma, ditou que as Investigações não serviam aos fins Republicanos.

PRINCIPAIS DENUNCIAS DE ALTA REPERCUSSÃO 

  1. Instituto Militar de Engenharia – IME, caso de corrupção ocorrido entre os anos de 2003 a 2007, onde existiram desvios de 15 milhões de reais, estando diretamente envolvido o Coronel Paulo Roberto Dias Morales. Reportagem da Veja, de 9 de agosto de 2011, ditou que o TCU, em relatório, apresentou favorecimento ocorrido a empresas por General, que não foi condenado.
  1. Hospital Central do Exército – HCE, corrupção em licitações nos anos de 1994 a 1997, com desvios de 6 milhões de reais. Reportagem da Veja, de 28 de outubro de 2011, apresentou a participação nas fraudes de diversos Oficiais Superiores, entre esses os Coronéis que trabalhavam na Comissão de Licitações: Elton da Silva Neves, Dílcio Maciel Chaves e Gilberto Guimarães.
  1. Departamento de Engenharia e Construção – DEC, corrupção envolvendo Oficiais Superiores, com desvios de 150 milhões. Reportagem do UOL, de 5 de dezembro de 2017, apresenta que o Juiz Auditor Militar, no Rio de Janeiro, enviou a denuncia ao Superior Tribunal Militar – STM, por também envolver a possibilidade de participação de Oficiais Generais.

RACE PARA ANÁLISE DO CENÁRIO EXTERNO A FORÇA? 

O alto Comando do Exército, composto por 15 Oficiais Generais de Exército, os conhecidos 4 Estrelas, estão reunidos nesta semana, para analisar o cenário do Brasil atual, especialmente para as eleições em 2018. Há grande instabilidade, uma vez existir, entre os Oficiais Generais, total desencontro na análise do Brasil atual, além de outras divergências como a apresentada entre os Generais Mourão e o Chefe do Estado-Maior do Exército.

“Parece mais prudente analisar o cenário interno do próprio Exército, em face da desmotivação, desunião e, agora, corrupção – QCO como inimigo não é uma boa! Lembre-se disso”!

21 comentários em “PROMOTOR, EX-SARGENTO E EX-OFICIAL QCO, ESCANCARA CORRUPÇÃO NO EXÉRCITO – ALERTA NA RACE!

  • 26/12/2017 em 14:04
    Permalink

    Caro Thomaz, até alguns anos atrás era bizu máximo defender corruptos, até mesmo com sacrifício da própria vida, mesmo que sua vida fosse medíocre. Mas na atual conjuntura não está valendo à pena. Melhor se calar…..quando vc imaginou ver algum verdadeiro dono do Brasil preso??? Marcelo Odebrech e CIA…..Em que momento nenhum vi ou entendi que fizeram críticas à Instituição….. e sim a militares corruptos!!!!

    Resposta
  • 26/12/2017 em 14:02
    Permalink

    Caro Thomaz, até alguns anos atrás era bizu máximo defender corruptos, até mesmo com sacrifício da própria vida, mesmo que sua vida fosse medíocre. Mas na atual conjuntura não está valendo à pena. Melhor se calar…..quando vc imaginou ver algum verdadeiro dono do Brasil preso??? Marcelo Odebrech e CIA…..Em que momento nenhum vi ou entendi que fizeram críticas à Instituição….. e sim a militares corruptos!!!!

    Resposta
  • 26/12/2017 em 04:43
    Permalink

    Sr Thomaz você diz:”Suas palavras são eivadas de raiva, ironias e lamentavelmente de injustiças”. Amigo onde o Sr viu essas coisas? Infelizmente as Forças Armadas não são como antes, isso não quer dizer que ela está prestes a se tornar uma facção criminosa, é claro que não. Mas a reportagem longe está de ficar neutra quando o assunto é corrupção, pois no seu caso, longe de mostrar preocupação do que tem acontecido nas casernas, prefere ficar num “saudosismo estigmatizado” de que elas são honradas, mas se existe muito de honra aparente ainda, isso deve-se a condutas honradas de verdadeiros chefes e líderes do passado, onde havia mais moralidade e probidade. Penso que elas já foram muito honradas, mas hoje percebe-se que essa justiça, moralidade e honra acontece mais com os que a tem já de berço, não necessariamente das FFAA. Depois que caiu minhas escamas pela não promoção ao QAO e ver que existe muita injustiça feitas aos graduados dentro de uma sistemática obscura e desleal de promoções pela DAProm e analisando o que essa reportagem falou, acho que ainda é pouco de tudo de errado que acontece internamente nas FFAA. Sei que em parte minhas palavras são também em parte um desabafo pela frustração que vejo na desigualdade no tratamento dentro dessas instituições, em relação ao trato aos de patentes mais baixas, mas é o retrato da realidade, independente do sentimento de quem afirma isso, seja como o Sr diz, eivadas de raiva, ou ironia, mas ao contrário do que afirma, são eivadas de sentimentos de desejo de justiça e sonho que um dia muitas das injustiças feitas sejam corrigidas, especialmente ao pessoal que mais trabalha que são os praças.

    Resposta
  • 26/12/2017 em 00:48
    Permalink

    Corrupção escancarada, punição aos agentes,servidores publicos infratores, não interessa qual o posto, delinquente vai responder pelos seus atos, e quanto maior autoridade e prerrogativas maior a responsabilidade sobre seus atos. Devem ser punidos exemplarmente.

    Resposta
  • 26/12/2017 em 00:38
    Permalink

    Estamos além do limite sustentável, Os fatos, sao provas isentas, que existe corrupção, sistêmica, em tudo, muitas vezes o servidor público, se prevalece da função, para cometer arbitrariedades e intimidacao visando eaconder seus atos ilegais. A forma duvidosa, sem publicidade, contrariando leis , demonstra irregularidades em vários processos, por exemplo a promoção do QAO. Aqueles que sabem disso é percebem, as irregularidades, cala e concenti a corrupção e muitas vezes para se favorecwr, sendo também permeáveis a corrupção compactuando com as ilegalidade. Também serão identificados punidos e pagarao do próprio bolso pelos seus atos.

    Resposta
  • 25/12/2017 em 15:20
    Permalink

    Esse Thomaz deve ser mais um baba ovo de superiores; todos sabemos que a grande maioria das denúncias é investigada sim, mas por militares…se o denunciado for Praça e tiver culpa, “pau nele” mas se for oficial, é grande a possibilidade de ser usada a “mão amiga”…Muitas vezes as licitações até são corretas, mas gostaria de ver investigações a fundo, fazerem “bater” notas fiscais com material realmente adquirido…
    Também gostaria de ver esse Promotor mandar abrir a caixa Preta da DAPROM, principalmente no tocante às promoções de STen ao QAO. Quero ver sustentar-se esse processo danoso e cheio de irregularidades.

    Resposta
  • 25/12/2017 em 15:06
    Permalink

    Inicialmente, gostaria de agradecer ao BLOG pela oportunidade, de criar esse espaço de debate e reflexão, que visa construir o conhecimento.
    Infelizmente, a corrupção está dentro da nossa sociedade e as FFAA como parte integrantes dessa nossa sociedade também
    estão contaminadas por práticas não “republicanas “. Estou nas FFAA desde 01/02/1985 e creio que não se afigura razoável, afirmar que todos os atos suspeitos que são objetos de denúncias, acabam sendo devidamente apurados pela administração pública. Aqui permito-me citar uma experiência que tive ao solicitar as folhas de respostas dos oficiais que me avaliaram de 2008 a 2013. Qual não foi a minha surpresa quando pude ler uma das folhas de respostas, onde um avaliador informa que não seria sua a autoria de uma das fichas de avaliação que consta como avaliador. Neste ponto, temos indícios do crime de alteração de documento público. Outro ponto, constante das folhas de respostas, diz respeito ao fato de que, praticamente, todos os avaliadores do ano de 2009, citaram a minha candidatura a vereador em 2008, como pretexto para judtificarem às pífias avaliacoes consignsdasa minha pessoa, em uma clara violação aos Direitos Humanos de primeira geração que são os direitos civis e políticos. De posse dessa vasta documentação, encaminhei a mesma ao Escalão Superior, para instauração de sindicância e/ou IPM, para apuração da conduta de TODOS os envolvidos e que apurassem também a minha conduta, em face às várias supostas transgressões imputadas a minha pessoa. Qual não foi a minha surpresa, quando recebi a publicação com o despacho do meu processo, onde não foram instaurados IPM e muito menos, sindicância, para apuração de minhas graves denúncias, sob o argumento de não haver interesse ds administração e de minhas denúncias não encontravam amparo na IG de sindicâncias, para a sua instauracao.
    Dito isto, eu pergunto aos senhores:
    1) Uma denúncia de suposto crime de alteração de documento público e uma denúncia de violação de Direitos Humanos devem ou não ser apurados?
    2) Não apurar fatos que estejam dentro de sua esfera de atribuição, pode ser considerado uma prática corrupta ou não?

    Po fim, em meus quase 33 anos de serviço, sonho que um dia, a nossa sociedade esteja livre desse fenômeno social e político, conhecido como “corrupção”.

    Gílson Gomes de Oliveira
    – Aluno especial do mestrado em DDHH da UFG;
    – Especialista em Direito Militar (UCB – 2009);
    – Bacharel em Direito pela UFG.

    Resposta
  • 11/12/2017 em 22:31
    Permalink

    …Será que os militares que sempre estão sabendo dessas irregularidades não tem boca e mãos não?
    Por que não fazem denúncia anômima? No mínimo alguém terá que investigar se procede ou não…Ficar omisso não é uma boa opção.

    Resposta
  • 08/12/2017 em 18:04
    Permalink

    O Thomaz, talvez tenha sido beneficiado, pois no comentário acima, fala de raiva e ironia, que no EB, todos os deslize são punidos. É verdade desde que envolva praça e graduados, mais quando trata-se de Oficiais tudo é feito para proteger, só punindo quando não tem como abafar, e esse corporativismo são em todas as outras forças, pois na FAB também é igual, soube de varias obras e licitações serem manipulada por interesse pecuniar próprio e quando descoberto o infrator as vezes era punido com a contemplação de uma transferência. Como disse a reportagem acima “os muros da hierarquia ainda protege muita corrupção na alta patente” da vista da sociedade civil e da justiça brasileira.

    Resposta
  • 07/12/2017 em 14:39
    Permalink

    THOMAZ,

    Com todo o respeito.
    Você sabe que a mulher do Adido, em Angola, Coronel Abreu e ele mesmo foram quem criaram toda essa merda no EB quando fizeram uma RIP dizendo que a mulher do Messias não seguiu as ordens da mulher do Coronel. Vergonhoso demais.
    Outro foi o coronel pintinho sampaio, comandante do 59, um coronel arrogante e mentiroso.
    Porém mexeram errado.

    Ainda o prenderam por covardia.

    O Comandante do Exército deveria chamá-lo para pedir desculpas.

    Resposta
  • 07/12/2017 em 14:32
    Permalink

    Sou da Inteligência,
    Digo que o que fizeram com o Messias foi uma das maiores sacanagem.
    O cara é top, só ver pelo Blog.
    Aqui em Brasília no CMB só faltou fazer chover. Sozinho fez a qualidade e consegui o prêmio ouro do governo federal.
    A Força perdeu um dos seus melhores. O melhor Guerra na Selva do 5º BIS DE TODOS OS TEMPOS.

    Resposta
  • 07/12/2017 em 14:29
    Permalink

    Sou QCO e posso garantir que o Promotor é homem honrado.
    Blog que faz mais do mesmo não interessa.
    Todas o nosso Jornalismo apresentou matéria a respeito, até a Globo.
    Porém, essa foi a melhor.

    Resposta
  • 07/12/2017 em 14:27
    Permalink

    Uma das melhores reportagens já apresentadas.
    Imparcial e que apresenta a verdade dos fatos de forma sintética e objetiva.
    O Blog vem se notabilizando pela imparcialidade e cultura da verdade.
    ]á apresentou diversas matérias elogiando as Forças Armadas e também as suas mazelas.
    Messias Dias.
    Nosso muito obrigado!

    Resposta
  • 06/12/2017 em 20:16
    Permalink

    Suas palavras são eivadas de raiva, ironias e lamentavelmente de injustiças, pois todas essas denúncias que foram colocadas são objetos de processos dentro do STM, e outras com seus envolvidos devidamente punidos, pois já foram investigadas e devidamente julgadas, e outra, as FFAA são dotadas de homens e mulheres, e nós sabemos que onde habita o ser humano, vamos ter anomalias, desvios de condutas, etc…. O problema reside em passar a mão quando o delito é constatado, o que não é o caso na Instituição, muito pelo contrário, a punição é sempre rigorosa. Parem de colocar a Instituição à margem do que é a sua essência, que sempre foi a correção de atitudes e a observância das Leis, não mecham com a honra do Exército, a delinquência não está na cultura da Força, muito pelo contrário. Mais respeito, isso é o mínimo que se deve esperar de alguém que esteve lá dentro por tantos anos, e que só agora, não sei pq, será que interesse contrariado??? Não sei, mas é no mínimo estranho tanto ódio. Lamentável!

    Resposta
  • 06/12/2017 em 16:52
    Permalink

    O que foi feito por este promotor, até agora, é muito pouco diante de tanta corrupção, dentro da caserna, que listo algumas:
    Fraudes em licitações;
    Desvio de recursos;
    Irriquecimento ilícito da Adm Pública, no qual praças acumulam até 5 funções, como já vi, sem a contrapartida das vantagens do cargo, e diferença/remuneração salarial;
    Fraudes nas promoções a QAO;
    Fraudes nas transferências;
    Desvio de materiais de consumo;
    Desvio de materiais doados pela Receita, para presentear familiares, em detrimento da instituição;
    Fraudes em processos de reformas, prejudicando praças e favorecendo oficiais, principalmente, Of superiores;
    Prevaricação exarcebada, principalmente, no que tange ao posicionamento da ética médica, causando prejuízos aos militares pacientes, por orientação dos Cmts…..
    Não preciso falar mais nada….. Vocês já conhecem o sistema!

    Resposta
  • 06/12/2017 em 12:40
    Permalink

    Quer falar de corrupção e fraudes no Exército, fale sobre o FAM/Poupex… maior fraude financeira nível EB e nacional. Custeia milhões para Gen da reserva e Gen da ativa.
    “Fundo de Apoio à Moradia – FAM”, se é um fundo, então quando os militares podem resgatar??? Ou o Fundo de Garantia que é muito generoso?! Rs…
    Os militares são praticamente obrigados a aderir pela sistemática imposta… e se quiserem sair, pense numa situação chata. O militar precisa justifica ao seu comando.
    Se o Poupex é vinculado ao EB, por que seus empreendimentos imobiliários são para civis ou militares de altos postos, pois empreendimentos de mais de 500.000,00, em sua maioria…
    Se o militar paga uma “mensalidade” para ter benefícios, quais são!? Poder fazer empréstimo!? Isso qualquer financeira faz, e até com taxas melhores. Seguro de vida!? É mais viável em um Bradesco, Itaú,…
    Por fim, se o Poupex não é organização militar, como sua Sede é alocada no meio do Setor Militar Urbano, em Brasília… a poucos metros do Quartel General do Exército.

    Isso tudo, quem é militar sabe… mas quem tem autoridade para intervir, é quem dá as ordens. Coisa típica de EB. É fácil cobrar quando você cria a regra…

    Resposta
  • 06/12/2017 em 04:34
    Permalink

    Admiro a coragem desse promotor.
    Ele não está enfrentando somente a corrupção acobertada pelo alto comando da força, mas está indo na contra-mão do sistema.
    Aqui em São Paulo eu venho enfrentando sérias e covardes perseguições por parte de oficiais generais e oficiais superiores. E o pior, eles têm anuência de membros da auditoria militar e do ministério público militar.
    Já denunciei diversos crimes cometidos por um grupo de militares junto ao ministério da defesa, conselho nacional de justiça, mas não é fácil, porque as autoridades se protegem.
    Eu já denunciei juízes auditores por prática de crimes. Um deles em São Paulo, vive participando de eventos como formaturas, coquetéis e jantares dentro do QG e toda queixa crime feita contra esses militares os auditores arquivam. Na maioria das vezes, nem são oferecidas denúncias, porque os promotores advogam para o alto comando da força.
    Vou citar só alguns casos para se terem idéia:
    Eu fui aprovado em um concurso para oficial e fui desligado de forma criminosa, ingressei com ação ordinária na Justiça Federal, ganhei tutela antecipada e esses mesmos personagens com apoio de um auditor, produziram um IPM fraudulento, até criaram um “grupo de criminalística” clandestino para elaborar um laudo pericial de fundo de quintal pra me acusarem de ter usado documento falso no certame. Fui absolvido na 1ª e na 2ª instância.
    Não bastasse, me acusaram de ter participado do extravio de rádios da guarda do quartel. A acusação foi tão sem vergonha, que a data informada do suposto desaparecimento dos rádios, foi uma data em que eu já não estava mais no quartel, tinha me desligado e estava à disposição de outro comando. A dupla, auditor e MPM, mandaram realizar uma busca domiciliar na minha residência e e coo nada foi encontrado (óbvio), passaram a esconder o processo. Tentei por 8 vezes obter cópia do IPM e o auditor escondeu. Tive que recorrer ao CNJ para ter vistas aos autos. Quando em fim consegui uma cópia, verifiquei que os rádios haviam aparecido no quartel, 10 dias antes do auditor mandar proceder a busca.
    Até contas de e-mails falsas já criaram para produzirem provas ilícitas para me acusarem.
    Arquivai mais de 10 IPM com acusações infundadas.
    No ano de 2015, fraudaram outro concurso para oficial no comando da 2ª RM. Os oficiais do SMR/2 até produziram documento falso para instaurarem uma sindicância que protegeu os criminosos. Eles prejudicaram candidatos aptos e favoreceram outros que eram parentes de oficiais superiores.
    Mas não para por aí.
    Observei que alguns crimes graves vem acontecendo no âmbito do comando da 2ª RM, como:
    Uma fazenda clandestina que funcionava dentro da 11ª Bda Inf. Lv em Campinas; uma empresa de fachada criada por um grupo de militares, entre eles um TC chefe do serviço de inteligência de um grande comando que desviava verbas públicas; mais recentemente o MPF investigou um rombo causado por fraudes em licitações; o MPM instaurou uma ação para investigar fraudes no SFPC/2 aonde o serviço vendi laudos para blindadoras e emitiam documentos para CACs em troca de propinas; a venda irregular de um terreno do exército para iniciativa privada e por aí vai…
    O que é curioso, é que o CHEM, é Cel R/1, contrariando a legislação em vigor, foi designado como DSA para cuidar da assessoria administrativa do quartel, mas exerce o cargo de CHEM cumulativamente.
    O chefe da assessoria jurídica, é um Cel R/1 que não tem formação em direito e foi designado para cuidar da ampliação do HTO, mas ocupa o cargo ilegalmente. Imperioso observar, que esses oficiais atuam como um guarda-chuva que protege os criminosos, pois todos esses crimes acontecem embaixo dos seus olhos e só o MPF e pessoas de fora que percebem, E sempre que descobertos, esses criminosos são transferidos das OM para servirem sob o comando desses militares citados anteriormente.
    O caso mais recente investigado pelo MPM no Rio de Janeiro envolvendo 11 militares que desviaram verbas públicas, tem semelhança com os ocorridos aqui em São Paulo, é que no comando da 1ª RM, o CHEM também é Cel R/1.

    Resposta
  • 05/12/2017 em 23:06
    Permalink

    É muito bom termos brasileiros honestos realizando a sua atividade, sem medo ou corrompendo-se. o MPM deveria ter o exemplo desse promotor para cumprir as suas atividades, uma vez que é o Parquet com menor gama de trabalho e, pior, em sua maioria, lambe botas dos Generais e Comandantes.

    Resposta
  • 05/12/2017 em 19:55
    Permalink

    Maravilhosa reportagem !!!
    Não se encontra documentário tão enriquecedor, com tamanha objetividade e clareza como esse acima. Nem na VEJA, UOL, ISTO É, GLOBO, Etc…
    Parabéns, Messias Dias !!!

    Resposta
    • Messias Dias
      05/12/2017 em 22:48
      Permalink

      Guilherme, o meu muito obrigado!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.