Suicídio de Sargento do Exército gera denúncias graves nas redes sociais

Acusações gravíssimas circulam no facebook e whatsaap, contrários ao Comando da 1ª Companhia de Guardas, em Porto Alegre-RS, referente ao suicídio do 3º Sargento do Exército, Matheus Medeiros Soares, ocorrido no último dia 22/06/2018, recém formado e nascido em 24/06/1996, então daquela Organização Militar.

PRINCIPAIS FATOS VEICULADOS NO FACEBOOK E WHATSAPP

Dentre as principais acusações perante o Comando da 1ª Companhia de Guarda, destaca-se que o Militar (suicida) estaria sofrendo pressão excessiva ou perseguição, apesar do pouco tempo de formação e experiência.

Dita que o Sargento teria sido designado para Chefe do Setor de Manutenção e Transporte, em tese função de Oficial, já teria sido supostamente punido disciplinarmente, além de ter recebido ao menos 4 (quatro) FATD – Formulário para Apuração de Transgressão Disciplinar, somado-se a isso, à distância da família.

VEJA ALGUMAS DAS DENÚNCIAS QUE CIRCULA EM REDES SOCIAIS – Gravíssimas!

“Repassando;
Bom dia pessoal, estou bem a par da situação acompanhando o caso desde o início, esse cara era de fato meu irmão. Estudamos juntos, passamos juntos, e como ele dizia, conquistamos e vencemos juntos.
É foda, realmente teve cobrança excessiva, inflexibilidade por parte do comando (CMT/ S CMT) estive com o Major pessoalmente, durante todo o caso, o indaguei sobre essa situação e sugeri que ele tivesse mais flexibilidade no comando dele para que tragédias como essa não ocorra mais, ele não tem 100% de culpa, o Matheus estava doente, infelizmente não conseguimos identificar, ninguém conseguiu, nem mesmo eu e o Lucas que morava com ele, mas essa doença ocorreu devido a cobrança, as punições que foram 4 FATDs e a distância da família, não foi somente o comando, mas o comando teve participação fundamental para que isso ocorre *TENTATIVA DE SUÍCIDIO DE MILITAR DO EB – Em 221129Jun18, no HPS, deu entrada para atendimento, o Sgt do EB Matheus Medeiros Soares, DN 24/06/96. Segundo informações dos socorristas o mesmo estava na 1ª Cia De Guarda, Rua Veador Porto 68, Bairro Santana e ao ir ao banheiro efetuou um disparo de pistola cal.9 mm contra seu peito. Encontra-se em estado grave na sala vermelha. A vítima é natural do Rio De Janeiro” – Link abaixo da denúncia:

https://www.facebook.com/groups/312134908904093/permalink/1694440774006826/?comment_id=1694444177339819&notif_id=1529857412245793&notif_t=group_comment_mention

“Sargento do exército acabou se matando por causa de perseguição do seu comandante que colocou ele em todo tipo de missão, o cara tinha horário pra entrar mais não tinha pra sair..
Lamentável ocorrer esse tipo de coisa, espero que seu comandante seja punido…afinal o rapaz não tem mais como voltar.
Ele era constantemente ameaçado pelo comandante de ser punido…

PROGRAMA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO SUICÍDIO NO EXÉRCITO
O Comandante do Exército determinou, face aos suicídios ocorridos de forma constate no Exército, envolvendo militares dos mais diversos postos e graduações, bem como das mais variadas idades, o programa de prevenção e combate ao suicídio, por meio de palestras por parte de pessoal especializado (Profissionais de Saúde e Capelães).
Em verdade, sem que estejamos em combate, toda e qualquer morte, causa perplexidade, tristeza e comoção, ainda mais quando se trata de jovens. Embora muitos entendam ser um mal dessa geração, porém, invariavelmente, vem uma pergunta em mente: “E SE FOSSE O SEU FILHO OU IRMÃO?”.
De certo que o programa deve avançar, também com visitas e inspeções de profissionais experientes, buscando observar o dia a dia das Organizações, especialmente o como estaria: “O Moral da Tropa“!
De certo que o Exército determinará o competente IPM – Inquérito Policial Militar que, convenhamos, não chegará à culpar qualquer agente, que tenha estado no temerário limites da legalidade, embora a VIDA, nosso maior bem, possua valor muito maior que a mera legalidade, especialmente para os entes queridos e amigos – Nossos Sentimentos a Família!
Nota: o Blog está de portas abertas à família da vítima, bem como ao Comando da Organização Militar e demais.

38 comentários em “Suicídio de Sargento do Exército gera denúncias graves nas redes sociais

  • 25/06/2018 em 17:46
    Permalink

    No EB existem vários oficiais covardes, que gostam de perseguir e atormentar sargentos de carreira novos (o mesmo não é feito com aspirantes oriundos da AMAN). Ouvi áudios em whatsapp que companheiros dele diziam que os oficiais (Cmt Cia e Cmt o perseguiam). Estes oficiais são verdadeiros covardes e criminosos. No minimo estes oficiais vão ser transferidos como punição….ganhar um $ de transferência. O EB é hipócrita com estas palestras de prevenção e combate a suicídios…….Exército Brasileiro, os verdadeiros provocadores do suicídio são vocês mesmos, os oficiais do Comando.

    Resposta
    • 25/06/2018 em 22:13
      Permalink

      #Fato ! O Exército é feito para o oficiais, igual ao Brasil como todo quem pode e deve resolver com poder usa-o para benefício próprio ! Triste!

      Resposta
    • 26/06/2018 em 07:11
      Permalink

      meu marido passou um bolo de perseguições foi punido por esta doente psicologicamente e por ter descriminação em ser sgt temporário…. tivemos um bom bocado de peregrinação pois todos os dias ele era colocada em missão boca podre. meu filho morreu, a mãe dele faleceu, o primo, e a tia faleceu e como fjca a mente dele boa e que nao está. .. sao todos covardes bando de lixo. ..nao respeitam ninguém. …eles PERSEGUIRAM E CONSEGUIRAM …..MEUS PESAMES A FAMILIA DO MILITAR

      Resposta
  • 25/06/2018 em 17:47
    Permalink

    Neste fato trágico fico a me perguntar, será que os oficiais, St/Sgt que são elementos responsável estão preparados para dar uma resposta correta e a contento em casos específicos.

    Ou cada um procura livrar o seu para ficar de “bem” não se importando com os demais.

    Andam bem longe quando o trabalho é em grupo.

    Resposta
  • 25/06/2018 em 18:00
    Permalink

    Para os politicamente correto, os que dizem que é um fato isolado, tenham certeza que essa tragédia foi anunciada. Assim como o que queriam que acontecesse com um militar na cidade de Feira de Santana, nov 2013, após muitos FATD e punições, sim punições: como disse um capitão para ele quando ele se dirigiu ao mesmo e disse que estava sofrendo perseguições, o Cap com muita simplicidade olhou para o ST e disse: se você foi punido vc mereceu. Legal! duas semanas depois um Sgt Tmpr, de Sv de Cmt Gd, deu um soco no olho do capitão…Quando ele passava por mim ele virava a cara. Legaaaaaaaal! Depois do velho ST não resistir a tantos assédios profissionais ele se descontrolou e foi procurar a pistola que o sgt de dia pendura na quina da beliche quando vai tirar um sono no almoço, para dar fim a própria vida. Não encontrando ele saiu do serio e começou a xingar. Dois dias depois, como já havia a informação, deram a ele uma Pst e um Fz com dois carregadores municiados cada arma, com a finalidade que um ST, com vários Ten no BTL comandasse um Pel Fzo durante o sorteio da copa do mundo, Sauípe-ba. Qual era a ideia: após o descontrole do militar encaminha-lo a um profissional, psico, psiq..ou dar armas para que ele próprio se matasse????? Meus pêsames a família e procure assessoria jurídica que é causa ganha!

    Resposta
  • 25/06/2018 em 18:15
    Permalink

    Infelizmente em plena democracia ainda vamos conviver com casos assim.
    Comandantes que perseguem seus subordinados até punir ou acontecer coisas piores como aconteceu com esse jovem recém egresso da escola de formação de sargentos.
    Em seis semanas 4 fatd..ou seja 4 razões de defesa para ele se defender e não ser punido.
    Isso é ou não é uma perseguição.
    Mais espero que as autoridade não do do Exército mais sim do Ministério Público Federal, investique e faça sindicância.
    Pois as mensagens e áudios no Watsap de militares demonstram que o jovem foi perseguido severamente.

    Resposta
  • 25/06/2018 em 20:16
    Permalink

    Tem que ser o Cmt, SCmt, Cmt Cia e menos metade dos ST, todos por omissão. Bando de vagabundos, não existe outro adjetivo para qualificá-los. O Cmt pq ele é quem pune; o SCmt e os ST por serem omissos e aceitar a ser cobrança excessiva do garoto e o Cmt Cia, que eu aposto que é um Cap ou Ten vagabundo, cagão , muito bisonho por não proteger seu subordinado

    Resposta
  • 25/06/2018 em 21:26
    Permalink

    Todo mundo sabe que os oficiais se lixam para os subordinados, em especial praças. Vamos aguardar se vai ter alguma repercussão no alto comando.

    Resposta
  • 25/06/2018 em 21:38
    Permalink

    Com a nova política de contratar sgt temporários e manter essa farsa de Oficial Temporários a pressão e assédios deveria ser iguais pra todos… O exercito está criando um monstro sem precedentes…. Assédios moral continuaram exestindo…

    Resposta
  • 25/06/2018 em 21:55
    Permalink

    Parece que esses covardes sabem escolher quem eles vão perseguir… porque se escolherem a pessoa errada, não vai ter suicídio, vai ter é um homicídio ou no mínimo um murro na cara. Senhores antigões, quando vermos uma covardia dessas acontecendo com lobinho, vamos orientá-lo a constituir advogado, denunciar no MPF e azuizar ação de reparação por danos morais! Essa covardia dentro dos quartéis tem que acabar!

    Resposta
  • 25/06/2018 em 21:57
    Permalink

    Infelizmente esta é uma realidade dentro do EB. Em 2015 estava servindo em Manaus e presenciei uma solução como está, un ST se amtou dentro do PNR da vila militar. Foi uma morte anunciada, todos sabiam que o fim seria o suicídio devidos aos diversos problemas que o mesmo estava passando. Está na hora da instituição se posicionar a respeito destas perseguições covardes que ocorrem nas OM eu mesmo fui vítima desta atitudes covardes por parte daqueles que usam a instituição para cometer inúmeras irregularidades.

    Resposta
  • 25/06/2018 em 21:58
    Permalink

    Lamentável em todos os aspectos. Precisamos lembrar do no juramento “…tratar com afeição os irmãos de arma e com bondade os subordinados”.

    Resposta
  • 25/06/2018 em 22:31
    Permalink

    Muito triste o que houve com ele, porém o EB deveria criar um órgão de fiscalização das OMs inclusive uma corregedoria para denúncias desses tipos de abuso. Outra questão é rever o teto para contratação de praças e oficiais e coloca-los e em suas respectivas funções. Se o fato ocorreu como o exposto no artigo, o CMT agiu errado, senão para que a existência de CPOR e NPOR? já que o quadro da AMAN não completa o efetivo de oficiais do EB, Indica que, “algo de errado não está certo.” para que a existência de oficiais R/2 que “coçam o saco” na reserva não remunerada? Fato, é que não pode um sgt assumir a função de oficial em tempos de paz. Muito chateado com o que ocorreu com o Sargento Matheus, tive na formatura dele.

    Resposta
  • 25/06/2018 em 22:35
    Permalink

    Muito triste o que houve com ele, porém o EB deveria criar um órgão de fiscalização das OMs inclusive uma corregedoria para denúncias desses tipos de abuso. Outra questão é rever o teto para contratação de praças e oficiais e coloca-los e em suas respectivas funções. Se o fato ocorreu como o exposto no artigo, o CMT agiu errado, senão para que a existência de CPOR e NPOR? já que o quadro da AMAN não completa o efetivo de oficiais do EB, Indica que, “algo de errado não está certo.” para que a existência de oficiais R/2 que “coçam o saco” na reserva não remunerada? Fato, é que não pode um sgt assumir a função de oficial em tempos de paz. Muito chateado com o que ocorreu com o Sargento Matheus, tive na formatura dele.

    Resposta
  • 25/06/2018 em 22:39
    Permalink

    O garoto pediu baixa por duas oportunidades ao comando! Participou o fato de estar com depressão e nada foi feito. Uma tragédia anunciada! Palestras não curam depressão! Espero que esse major jamais seja esquecido por seu dolo, pq punição, com certeza ele não vai ter!

    Resposta
  • 25/06/2018 em 22:40
    Permalink

    Em pleno século 21, e temos “porcos” (sentido figurado, no conceito de pessoa nefasta, vil e covarde) da AMAN, e até mesmo da EsSEx, causando tragédias nas famílias, seja por separação conjugal ou até suicídio, porque os imbecis acham que não devemos ter outra vida a não ser a caserna.
    Esta na hora de dar o troco para estes covardes; seja procurando o MP. Dentro do quartel são uns leões; na rua, são umas galinhas.😠😠

    Resposta
  • 26/06/2018 em 05:19
    Permalink

    No EB vivemos num ambiente extremamente perseguidor e covarde,a inteligência é um mero cabresto do comando, que se utilizam de praças para Capitão do Mato, sempre trabalhei no comando e digo, as maiores sujeiras está debaixo do tapete dos salões de honras! Ps. Sempre defendo meus pares!

    Resposta
  • 26/06/2018 em 05:29
    Permalink

    E vai acontecer mais tragédias como essa, infelizmente, a piruação do comando para alcançar seus êxitos pessoais e familiares “boquinhas “, generalato e outras mais, todas ilegais, além das perseguições em geral, tudo isso acabou com o ambiente de trabalho no EB! Ainda, o sistema colocou os Subtentes extremamentes covardes para saírem oficiais, estes, antigamente eram os pais dos Praças, infelizmente não são mais!

    Resposta
  • 26/06/2018 em 05:37
    Permalink

    No EB não respeitam a presunção de inocência e se o militar comete um erro, mesmo depois de pagar, será julgado por esse erro eternamente, pior ainda, pela próprios companheiros! É uma instituição de sobrehumanos que não pode errar!

    Resposta
  • 26/06/2018 em 05:52
    Permalink

    Para se ter ideia dos descalabros que acontecem na força, o ministério público militar está denunciando 3. Sgt por erros na “execução orçamentária” de om e deixando o od de fora do processo, esse fato vai ser trágico, tem garoto inocente que vai prejudicar a própria vida. Porém digo, se essa injustiça prosperar vai ser tornado público, todas as mazelas da força, com provas documentais, inclusive o lobby criminoso que o comando está fazendo junto ao mpm nesse caso específico!

    Resposta
  • 26/06/2018 em 07:10
    Permalink

    Esse bando de recalcado não sabe nada e quer julgar, e sempre a culpa é do oficial malvadão.
    Não vi ninguém perguntando o motivo das 4 FATD para tentar avaliar se foi perseguição ou não. Ninguém imaginou que o cara pode ter levado as 4 FATD com razão, por ter faltado ou chegado atrasado, por exemplo?
    Não estou dizendo que seja o caso, pois não conheço, mas tem vagabundo tentando associar recebimento de FATD ou punição com perseguição…
    Uma novidade para vocês, cumpram suas missões e não façam merda que não serão punidos.

    Resposta
    • 26/06/2018 em 09:27
      Permalink

      Se o sr for militar, sugiro ler as atribuições do cmt! uma coisa é a punição disciplinar outra coisa é perseguição! conheço vários militares que pouco estão se lixando pro exército que já tomaram inúmeras FATD e punições e não cometeram suicídio! via de regra quem tá cagando pro exército tá muito bem fora do EB. o que não acontece ao contrário.
      Por outro lado quando alguns cmts sabem que o militar (praça) tem uma vida boa e estável fora do quartel começam a ficar com inveja e encher o cara de missão ( pelos informes é o caso dessa tragédia) então não venha defender sua classe aqui, seu hipócrita.

      Resposta
    • 26/06/2018 em 09:48
      Permalink

      Saudações a todos do Blog!
      Respondendo ao Ggggagá de 26/06/2018 em 07:10, com certeza a maioria dos que opinam no Blog não são contra a instituição Exército Brasileiro, e muito menos contra oficiais, e essa acusação baixa e ridícula nos chamando de recalcados, recalcados em que seu desumano??
      A verdade é que infelizmente o caso do Sgt novo que se matou não é único. Pois nem todos tem equilíbrio emocional e mental para administrar certas situações…e caberia simj, a um Cmt equilibrado e sensível enxergar quando um subordinado seu está com seus estado mental alterado, e não só fazer cobranças, isso não é ser líder…Se as FATD foram justas e o militar estava pedindo desligamento, porque o cmdo não o liberou? Pois existe uma indenização que é feita pelo sgt recém egresso, caso ele peça licenciamento antes dos 3 anos de Sv.
      O que era preciso ter também no EB, semelhante a PM, uma corregedoria, que tornaria casos como esse mais transparentes e as soluções mais justas, republicanas e democráticas.
      Sou de uma época que os praças eram punidos as vezes sem terem feito transgressão e sem o contraditório e ampla defesa, ficavam punidos até de boca, porque o chefe queria ou achava que o praça tinha que ficar detido no quartel, vi inúmeras injustiças não só comigo mas com outros que saíram descrentes da instituição que tanto prega a lealdade, mas essa lealdade muitas vezes é só de baixo para cima. Talvez muitos oficiais querem manter esse tipo de ambiente nas casernas, onde quem é chefe e Cmt pode ser boçal e tirano à vontade. Isso não pode mais continuar, tem que ser extirpado esse tipo de pensamento da Instituição.
      Uma realidade cada vez maior tem se tornado visível, o descontentamento de graduados de carreira quanto ao tratamento desigual dispensado muitas vezes pela cúpula do Cmdo do Exército e por que não dizer das OM.
      Espero dias melhores para o EB. Acredito que através do Judiciário e da Política isso ainda venha a acontecer.

      Resposta
    • 26/06/2018 em 11:13
      Permalink

      Provavelmente este post ( Ggggg – 26/06/2018 em 07:10) é de um oficial incompetente. Como era que foi as considerações dos oficiais que deram 4 FATDs a um sargento recém saído da escola sem experiencia nenhuma? tinha necessidade? ou deveria haver a conversa orientadora? são uns canalhas, como você dono desta postagem. O vagabundo mesmo deve ser você oficial incompetente, que só deve viver dando ordens e assinando papeis feitos por seus subordinados – praças. Não produz nada. E os oficias que não cumprem suas missões e não são punidos? vagabundos encostados!!! sem falar dos que roubam o dinheiro publico nas químicas e licitações fraudadas. Alguns casos já estão aparecendo na mídia, mais muito mais casos saíram impunes……..vagabundos, ladrões, criminosos e assassinos, isto tem muito no seu meio.

      Resposta
    • 26/06/2018 em 12:50
      Permalink

      isto me faz lembrar o Cel Glenio Carvalho de Souza, que comandou o 59º BIMTZ em Maceio-AL em 86, morto pelo SD (…..), que segundo a imprensa o Coronel, era considerado por seus colegas um militar de linha dura, muito severo e intransigente com seus subordinados. É citado COMO TORTURADOR NO LIVRO TORTURA NUNCA MAIS. Acusado de ter participado da morte de um Sgt por este ter feito entrega de panfletos considerados subversivos, mesmo assim anos mais tarde nomeado Cmt de BTL, Este não é o Exercito que eu quero pra nação Brasileira. infelizmente vivemos de resquício, Precisamos de reestruturação e transparência, para consolidar e modernizar as instituições e reparar os erros do passado. “o melhor modo de apreciar o chicote é ter-lhe o cabo na mão”. Machado de Assis.

      Resposta
  • 26/06/2018 em 09:55
    Permalink

    Oficiais são formados para isso. Vivem em um mundo fora da realidade. Todos saem da AMAN sabendo que chegarão a Coronel mesmo tendo punição. Basta visitar os QG lotados de coronéis que são chefes de outros chefes. Um verdadeiro cabide de emprego. A solução é a guerra. Na guerra muitos destes safados vão tomar tiro na nuca por darem ordens absurdas ou colocando seus subordinados em risco. A guerra vai fazer uma faxina no exercito, onde somente aqueles oficiais que entendem que através do exemplo e bondade possuem a tropa ao seu lado. Quer mais exemplo de palhaçada de oficiais? Mais uma…todos estes canalhas possuem pnr e o praça mora longe…esses canalhas dão o toque de ordem em horários onde suas esposas já estão com a comida na mesa…. enquanto o praça leva quase 3 horas pra chegar em sua residência. Isso é tropa? Acham que em uma guerra o Brasil ganha? Nunca….basta ver que mesmo o povo pedindo os militares no poder, não o fizeram justamente porque a tropa não apoia esses canalhas que ao virarem “autoridades” serão tão corruptos quanto os políticos.

    Resposta
  • 26/06/2018 em 13:21
    Permalink

    Punir é algo muito ruim, mas é algo que um comandante deve fazer, quando há uma transgressão disciplinar. “Punir” dá trabalho, tira tempo para fazer outras coisas, como observar melhor seus subordinados, estar com eles, conversar com eles. Para punir, deve-se seguir um processo. Primeiramente, deve-se observar um fato que possa ser caracterizado como uma transgressão disciplinar. Após isso, quem observou o fato (que pode ser qualquer militar) pode participá-lo ao seu comandante. Isso vai gerar um Formulário de Apuração de Transgressão Disciplinar (FATD), gerando um processo que tem 8 dias úteis para ser solucionado, podendo ser prorrogado por mais 30 dias úteis. Neste processo devem ser respeitados os direitos de ampla defesa e contraditório. Ou seja, o FATD não é a punição, mas deve ser gerado, por qualquer militar que observe ato que possa ser encarado como transgressão, quem vai dizer se é ou não, é o comandante, no final do processo. Diante disso, saliento que receber FATD não é ser punido, mas muitos militares, por questão de vaidade ou desequilíbrio emocional, encaram desta forma, porém todos devem entender que o FATD é a evolução das coisas. Não se pune sem registro, sem dar direito de defesa, sem ouvir o acusado. O FATD não pode deixar de ser produzido, é ele que vai registrar a vida disciplinar do militar. Este processo existe para coibir injustiças. Eu entendo que o ser humano reclame de tudo e que cada um só enxergue o seu lado, mas é justamente por isso, que não se agrada todo mundo. O Exército é uma instituição muito conservadora, tradicional e rigorosa, muitos militares não conseguem se adequar a isso. Quando um militar comete uma transgressão disciplinar ou ato que esteja próximo disso, seu ato deve ser julgado pelo seu comandante, pois se isso não for feito, pode-se gerar no grupo um sensação de injustiça e de impunidade, o que pode ser muito pior, fazendo com muitos outros militares repliquem o ato ou busquem fazer justiça com “as próprias ” mãos. Cobra-se muito dos comandantes, e eles devem estar preparados para esta pressão, porém eles têm muitas atribuições. A cada dia que passa as Forças Armadas têm sido acionadas para cumprir missões de polícia, entre outras. Isso gera muitos mais estresse nos quartéis, o que é normal, porém poucas pessoas sabem lidar com isso, pois mais missões surgem, os prazos são exíguos, tudo tem que ser “pra ontem”, mas a sociedade tem precisado deste esforço a mais. Um outro problema é que pessoas com mau caráter acabam entrando nas Forças Armadas, elas só querem o dinheiro no início do mês, mas trabalho que é bom, nada. Os tempos não têm sido fáceis, devemos nos unir e nos ajudarmos. É difícil identificar um militar com problemas psicológicos. É difícil saber se ele tem um problema ou se esta enganando. Atualmente, em qualquer um dos casos, o militar deve ser afastado do serviço armado e receber acompanhamento de um especialista. Mas este também é um problema, o especialista não consegue dizer se o seu paciente está dizendo a verdade ou mentindo sobre o seu quadro. Enquanto isso, os outros militares estão cumprindo diversas missões, inclusive a do militar em tratamento, e acabam questionando a situação deste militar em tratamento. E aí, cabe mais uma vez ao comandante lidar com esta situação, informando a tropa sobre o caso, para evitar boatos, insatisfações, desmotivação e injustiças.Mas como eu disse, lá no início, qualquer um pode observar um ato transgressor, e como qualquer um pode relatá-lo, e o comandante tem o dever de abrir um FATD, muitos militares ficam mais atentos aos militares que tentam ludibriar o comando, pois no final, o trabalho, a mais, acaba indo pra eles. Finalizando, tudo é muito complexo. Todos, não só os comandantes, devem lutar pelas injustiças. Existem vários métodos pra isso. Todos têm responsabilidade com todos. Repito,está não é uma responsabilidade exclusiva do comandante. Quem já teve alguma palestra sobre suicídio sabe que a pessoa que pensa em se matar, quer desabafar com qualquer pessoa. Muitas vezes, eles não querem falar com o comandante, eles querem falar com um colega, com um parente. A luta contra o suicídio é uma luta de todos, mas não há culpados, quando este não é sugestionado ou incentivado. Porém ninguém quer uma pessoa tire sua própria vida. A vida é um bem precioso.

    Resposta
    • 26/06/2018 em 17:43
      Permalink

      Anônimo
      26/06/2018 em 13:21 – Se sai dessa!!!!!!!

      A galinha e porco resolveram fazer um sanduíche. O porco prometeu o bacon e a galinha o ovo. Como pode-se notar o porco se comprometeu e a galinha esta comprometida. Um dará parte do corpo e o outro apenas algo que lhe é natural. “Punir é algo muito ruim, mas é algo que um comandante deve fazer, quando há uma transgressão disciplinar”. Apenas o oficial não está incluso no RDE, a começar pelo comportamento, of não precisa pois já é ilibado, será?????, oficial não chega atrasado, pois mora em pnr do lado do btl. Não é punido por ser coisa exclusivamente para praça!! O FATO É: COMO O OF É INSTRUTOR E NÃO CONSEGUE FAZER OU MESMO ENSINAR AS ATIVIDADE COTIDIANAS A SEUS SUBORDINADOS, tem que ter um praça para trocar as fraldas do bebezão.

      Resposta
    • 26/06/2018 em 18:29
      Permalink

      Muito bem redigidas suas palavras, Anônimo de 26/06/2018, de 13:21h, um suicídio em qualquer ambiente sempre é arrasador, pois inicialmente se procura os culpados que levaram o companheiro a esse ato extremo. E deve-se ter o cuidado com injustiças ao apontar responsáveis, mas apesar de ser muito difícil e complexo lidar com essa situação, eu ainda acredito ainda que se o Cmt ou Chefe for sensível e justo, com a ajuda também de Oficiais ou Graduados que expressem o que está acontecendo, muita coisa pode ser evitada. Não sei se é o caso específico dessa Cia Gd em Porto Alegre, e se fora o que militar da matéria que relatou como testemunha o que o 3º Sgt estava passando, não sei se mais alguém teria outra versão, ou corroboraria com a versão apresentada na matéria.

      Resposta
  • 26/06/2018 em 18:20
    Permalink

    Publicado em 2011 pela editora Imprensa Livre “INSEGURANÇA PÚBLICA”, traz em suas páginas: A saúde física e mental dos profissionais (…) p.130,131, com destaque na p.132 e 133. Milhares de pessoas entre acadêmicos nos seus TCCs, já leram. Hoje, encontra-se na “Library of Congress – EUA”.

    Resposta
  • 30/06/2018 em 11:32
    Permalink

    Algo aconteceu? Estão verificando as causas? hummm!
    A vida continua… Nada mudará.

    Resposta
    • 30/06/2018 em 14:49
      Permalink

      vamos ver se nada mudara seu vagabundo. É porque não era seu amigo ou parente. A família ira processar os responsáveis.

      Resposta
  • 01/07/2018 em 00:38
    Permalink

    Vai mesmo? Processar faz parte do processo. Mas te digo: Não vai dar em nada. Quem está envolvido será beneficiado com uma transferência para sair da Guarnição e não dar atenção e tudo ficará bem.
    Quer apostar???

    Resposta
  • 16/07/2018 em 20:03
    Permalink

    A família não pode deixar barato, tem que correr atrás. Algum advogado precisa ajudar essa família a buscar por justiça.

    Resposta
    • 17/07/2018 em 09:01
      Permalink

      o que me deixa pensativo é porque o outro blog não publicou nada sobre esse assunto! para aqueles que não sabem o dono do outro blog é de lá do sul e por diversas vezes vi benevolência quando se fala dos cmts que servem ou são de lá!!
      só observando….

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.