Bolsonaro será Presidente da República, para 87% de Investidores, diz Exame

São Paulo – Jair Bolsonaro lidera em mais uma pesquisa eleitoral. Desta vez, uma pesquisa realizada pela XP Investimentos perguntou a investidores institucionais quem ganhará as eleições em 2018. E 49% dos respondentes disseram que o deputado será o próximo presidente.

Outros 26% disseram que o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) deve ganhar as eleições. Outros 15% disseram que a vencedora será Marina Silva, da Rede, com 15% e 3% apontaram Ciro Gomes como vencedor.

A sondagem foi realizada com 146 investidores institucionais (gestores de recursos, economistas, consultorias, entre outros) entre os dias 02 e 03 de julho.

Segundo turno

Ao serem questionados sobre o segundo turno, novamente Bolsonaro lidera. A pergunta feita foi a seguinte: “quais candidatos chegarão ao 2o turno?”

Para a maioria (87%), Jair Bolsonaro (PSL) estará presente na segunda etapa da disputa eleitoral. Outros 34% dos respondentes afirmaram que será Marina Silva.Geraldo Alckmin foi apontado por 31% e Fernando Haddad, 23%. Já 16% assinalaram Ciro Gomes (PDT), por fim, outros nomes tiveram 8% das menções.Em relação a disputa no segundo turno, 32% acreditam que será entre Bolsonaro e Marina Silva. Outros 21% apontaram Bolsonaro e Alckmin e 16% entre Bolsonaro e Fernando Haddad. Já a disputa entre Ciro Gomes e Bolsonaro fica com 14%. 

(Sob aplausos, Bolsonaro critica desde cotas para negros até imprensa). 

 

5 comentários em “Bolsonaro será Presidente da República, para 87% de Investidores, diz Exame

  • 06/07/2018 em 09:36
    Permalink

    A Esquerda destruiu nossa nação. todos querem mudança. Bolsonaro só não ganhará se as Urnas forem fraudadas.

    Resposta
  • 07/07/2018 em 11:51
    Permalink

    Por um lado gosto do Bolsonaro, aparentemente não está envolvido em corrupção e não tem medo de dizer o que pensa. Mas por outro lado, me preocupa a enorme proximidade que ele tem com Generais, inclusive dizendo que a maioria de seus ministros serão militares. Em nenhum lugar do mundo essa mistura de política e militarismo teve bons resultados, e no Brasil não será diferente. No caso específico dos Praças das Forças Armadas, ele já foi sondado por companheiros e ao que parece não se mostrou nem um pouco sensibilizado com os problemas que temos: é provável que ele se sinta de sangue azul, ou seja, aquele oficial que se considera como pertencente a uma casta superior. Quanto aos problemas da Nação, só o tempo dirá se Bolsonaro foi uma boa escolha ou não. A nós Praças, nos resta tentar eleger Deputados que compartilhem da nossa causa, principalmente outros Praças, para que tenhamos alguma representatividade no Congresso.

    Resposta
    • 07/07/2018 em 18:35
      Permalink

      Bem redigidas suas palavras Julio, considero Bolsonaro como alguém do setor militar que pela primeira vez depois do regime militar que consegue ter amplas chances de chegar a Presidência da República. Sendo assim espero que traga uma política salarial melhor para os militares do que a que foi realizada pelos últimos governos. em relação aos praças realmente não sinalizou oficialmente de maneira firme que irá examinar e criar uma Lei isonômica para os praças, talvez por causa de sua aproximação com os Oficiais de alta patente que não veêm com bons olhos que os praças tenham um tratamento igual ao dos oficiais em relação as promoções. Mais uma razão então para os praças deixarem a alienação política de lado e elegerem candidatos praças que os represente no Congresso Nacional.

      Resposta
  • 07/07/2018 em 20:10
    Permalink

    Aos companheiros vai a dica:
    Se ele se eleger no minimo vai sair alguma coisas de melhoria para os oficiais e por consequência para as praças,veja a LE por exemplo quando se beneficiaram trataram de correr atrás do prejuizo, então acredito que alguma coisa venha mas primeiro tem que elege-lo.

    Resposta
  • 10/07/2018 em 17:49
    Permalink

    Talvez eu seja apenas uma voz dissonante. Mas, espero que não, esse Bolsonaro será uma tragédia. Para todos, inclusive para nós, militares. Antes, um parêntese. Engraçado como o tempo distorce as coisas. Quando eu entrei para o Exército, em 1990, o Sr Bolsonaro era considerado “persona non grata”. Havia um memorando em todos os quartéis, cuja cópia estava no corpo da guarda, proibindo a entrada desse cidadão em qualquer Organização Militar. Ele foi julgado e considerado, por unanimidade, por uma Conselho de Justificação, sendo condenado a prisão disciplinar. Seu caso subiu para o STM, e ele pediu reserva antes de ser expulso e ser considerado indigno para o oficialato.
    https://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/05/1884033-bolsonaro-admitiu-atos-de-indisciplina-e-deslealdade-no-exercito.shtml
    Agora, passados alguns anos, ele se transformou em nosso defensor? Ele foi condenado, por unanimidade, por atos terroristas, inclusive.
    Procurem se informar! É apenas o que peço.
    Bolsonaro não me representa.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.