“Herói em Tempo de Paz”: General Villas Boas é homenageado pela FIESP

O comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, foi homenageado pela Fiesp, com honraria destinada a “Chefe de Estado”.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo condecorou o comando das Forças Armadas em uma solenidade na noite de quarta-feira (21).

Em cerimônia que reuniu membros de federações industriais de diversos estados, em sua sede na avenida Paulista, a Fiesp homenageou os comandantes da Marinha, Eduardo Ferreira, e da Aeronáutica, Nivaldo Luiz Rossato, além do chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Ademir Sobrinho.

A entidade abriu um precedente ao conceder a maior honraria ao comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, agraciado com a comenda da ordem do mérito industrial São Paulo no grau Grão Cruz, em geral destinada a homenagear reis, príncipes, presidentes e primeiros-ministros.

“Nós estamos acostumados a homenagens feitas a heróis em tempos de guerra. Não estamos acostumados a homenagear heróis em tempos de paz”, discursou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf (MDB).

Nota do Editor:

  • Sem embargo, trata-se  do maior líder militar, em tempo de paz, que não “paquerou” com ambições de “Revolução Democrática” ou “Intervenção Constitucional” ou “Luta Patriótica”.
  • Conduziu o Exército Brasileiro e, por não dizer às Forças Armadas, a manter-se a cavalheiro da constituição, enquanto muitos já “namoravam” outros “casavam”, com ideais intervencionistas.
  • “Sóbrio, Habilidoso e Resistente” – A Canção do Guerreiro de Selva bem retrata a melhor face do nosso Comandante e Líder Maior.
  • Em silêncio ou nos seus enigmas, abafou revoltas, sem dar um “único tiro”.
  • Só o tempo dirá se o seu implícito receio, dos militares no “poder” ou “a serviço do Rei”, manchará a imagem do “Exército de Caxias” .

 

Nem tudo são flores, antes de passar o bastão, acabe com os pontos da CPS e CP-QAO

 

5 comentários em ““Herói em Tempo de Paz”: General Villas Boas é homenageado pela FIESP

  • 24/11/2018 em 06:00
    Permalink

    O que o general Villas Boas fez pela tropa e pela melhoria da qualidade de vida de seus subordinados e familiares? que heróis é este? uma palhaçada e um teatro, isso sim.

    Resposta
  • 27/11/2018 em 23:22
    Permalink

    Um herói… Criou o dia do uniforme, a medalha exército brasileiro, a oração do soldado e, não menos importante, o dia da “família militar”. Com certeza, isso contribuiu para: a queda das atividades do tráfico de drogas nas fronteiras e nos grandes centros urbanos; a diminuição da corrupção e desvios de dinheiro; a diminuição da violência; o aumento da qualidade de vida dos militares etc.

    Um herói de um governo e de um exército que, quando foi chamado pela ONU para compor a força de paz na África, recuou pois aquele continente é muito perigoso pois poderia morrer em combate nossos valentes soldados (mesmo tendo sido afirmado que seria enviado um batalhão). Melhor será esperar sair outro “Haiti” e ficar mais próximo das comodidades de Miami pois “guerra sem conforto é matança”.

    Um herói de um exército que se acovardou – durante os governos FHC, Lula e Dilma – em troca de cargos na Petrobras e outras Empresas do governo. Tudo isso, em troca do sofrimento da tropa e da população. Deixaram até de comemorar o dia 31 Mar 64, uma clara traição àqueles que combateram os ideais comunistas da época. Inclusive, deixando os soldados daquela época – sozinhos e abandonados – à mercê dos abutres das tais “comissões da verdade”.

    Um herói que tem medo da politização dos quartéis pois sabe que a tropa já não confia que o Comando efetuará mudanças para melhor para seus subordinados. Pois toda mudança dentro dos muros dos quartéis, na maioria das vezes, é para pior.

    Um herói de um exército onde: a farinha é pouca? Meu pirão primeiro.

    Um herói político militar ou seria um militar político herói? Não sei…

    Um herói a quem a História irá relegar apenas três coisas: uma quadro com sua foto na parede do gabinete, a indiferença e esquecimento. Pois não teve força e coragem para ser o portador da mudança real para seu exército e, principalmente, sua tropa. Será apenas mais um que passou.

    Um herói, espera um instante: um herói seria isso mesmo? Ou seria aquele que se destaca por seus feitos extraordinários?

    Um herói…

    Resposta
    • 28/11/2018 em 22:35
      Permalink

      Fato! Lamento pelo seu estado mórbido, mas não fez nada de relevante para tropa, pelo contrário, incentivou a cisão de classes dentro da força, deu status a inteligência covarde e voltou com o inconstitucional conselho de disciplina!

      Resposta
  • 07/12/2018 em 18:54
    Permalink

    Dizendo também sobre sua Diretriz de Comando, que prejudicou substancialmente a promoção. COVARDE!!!
    Vai pagar caro por suas ações, se não já está pagando!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.