Intervenção é para Combater a Corrupção Policial no RJ – E aos Políticos?

‘Intervenção para combater a corrupção nas Polícias do RJ, sem atacar Governo e ALERJ, está fadada ao fracasso’ – Abaixo Reportagem do O Globo!

“BRASÍLIA E RIO — “Não podemos fazer intervenção só do lado de fora, nas ruas; precisamos intervir também dentro das polícias”. A frase foi dita neste sábado por uma das autoridades federais que participaram de uma reunião no Palácio Guanabara sobre a missão que as Forças Armadas terão no Rio. Segundo ela, durante o encontro, o presidente Michel Temer e o novo responsável pela segurança do estado, general Walter Braga Netto, deixaram claro que o combate à corrupção se tornou uma prioridade, algo tão importante quanto a presença ostensiva do Exército em áreas conflagradas.

Passada a reunião, autoridades se preparam para tentar aplicar o que é considerada a parte mais difícil da intervenção federal na segurança pública do Rio, decretada por Temer na sexta-feira: um modelo de ação que permita a realização do que chamam de “limpeza” nas polícias Militar e Civil do estado. Existe a possibilidade de o presidente assinar um decreto suplementar nos próximos dias, detalhando o poder de atuação de Braga Netto. Isso é uma reivindicação de oficiais, que querem garantir carta branca para o general tomar todas as decisões que julgar necessárias”.
Leia mais: https://oglobo.globo.com/rio/combate-corrupcao-policial-sera-prioridade-da-intervencao-no-rio-22409039#ixzz57TewWlOL stest

POSTER DEMONSTRA PROVÁVEL REALIDADE E PREOCUPAÇÃO NA CASERNA

 

SEGUE CHARGE DO PROVÁVEL SENTIMENTO DOS MILITARES NOS QUARTÉIS

 

6 comentários em “Intervenção é para Combater a Corrupção Policial no RJ – E aos Políticos?

  • 18/02/2018 em 15:07
    Permalink

    Só Deus Jeová por nos nesse país miserável, esses políticos não resolvem nada só politicagem e mais nada!

    Resposta
  • 18/02/2018 em 15:12
    Permalink

    Particularmente, acho que o EB está despreparado para enfrentar essa situação.
    Os militares das FFAA não têm treinamento específico de segurança pública, sendo que levaram um banho das situações que terão de enfrentar.
    Se chamaram as FFAA é porque é uma guerra e, numa disputa bélica sempre haverá regras de engajamento em que a população civil terá que contar com baixas.

    Resposta
  • 18/02/2018 em 15:13
    Permalink

    Particularmente, acho que o EB está despreparado para enfrentar essa situação.
    Os militares das FFAA não têm treinamento específico de segurança pública, sendo que levarão um banho das situações que terão de enfrentar.
    Se chamaram as FFAA é porque é uma guerra e, numa disputa bélica sempre haverá regras de engajamento em que a população civil terá que contar com baixas.

    Resposta
  • 18/02/2018 em 15:25
    Permalink

    Essa intervenção é fajuta. A Constituição prevê, inclusive, que autoridades do estado que sofre a intervenção podem ser retiradas temporariamrnte de seus cargos, mas no Rio nem se cogita nisso, apesar de inúmeros parlamentares envolvidos com traficantes, com milicianos, homicídios, roubo de carga, etc, e dois ex-governadores presos, um deles chefe de quadrilha. Que intervenção é essa que nem poder de polícia as forças armadas têm? Lamentável como nossos generais se tornaram uns vendidos, talvez em troca de algum possível cargo em estatal quando for pra reserva…

    Resposta
  • 18/02/2018 em 15:30
    Permalink

    Vamos ver se alguma coisa vai funcionar Um Governador incompetente, um Secretario de Segurança fraco um Minstro da Defesa sem noçao de nada. No que isso vai dar?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.