Intervenção Militar Decretada na Segurança do RJ é Necessária?

O MAIOR DESAFIO QUE PODE DESTRUIR A IMAGEM DAS FORÇAS ARMADAS

A decretação de Intervenção Federal no Rio de Janeiro, na área da Segurança Pública, ocasionará o maior desafio para às Forças Armadas que estará a frente da missão, sob o Comando do General Walter Souza Braga Netto, Comandante Militar do Leste, que será nomeado Interventor. Os desafios são imensos, na mesma medida das incertezas.

A MUDANÇA NO RIO DE JANEIRO É MUITO MAIS PROFUNDA

Em verdade, a mudança no Estado Fluminense passa pela destituição e troca de toda a cúpula do Poder Executivo local, bem como de quase todos os membros do Poder Legislativo, pois de fato, faliram o Estado, além de notório envolvimento com a Corrupção e Crime Organizado.

A CÚPULA DA SEGURANÇA PÚBLICA DEVERÁ PEDIR DEMISSÃO

A consequência inicial da medida interventiva será o pedido de demissão de toda a cúpula da Segurança Pública do Rio de Janeiro, claramente desgastada e tida como incompetente.

COMO ASSEGURAR O COMANDO DAS POLÍCIAS MILITAR E CIVIL?

Provavelmente o maior desafio será a liderança e comando dos policiais militares e civis, que, em regra, possuem baixos salários, estariam desmotivados e, pior, com parcela das Corporações,  envolvidas com o Tráfico de Drogas e Milícias. A disciplina nem de longe se assemelha a Castrense!

CONTINUARÁ OPERAÇÕES PARA “ENXUGAR GELO” COM SUPOSTOS ACORDOS COM O CRIME?

Uma das questões primordiais é saber como se dará às Operações das Forças Armadas. É sabido que a população espera resultados concretos, especialmente de apreensão de armas e desarticulação do  crime organizado e milícias. Pergunta-se: isso ocorrerá ou haverá acordo de cavalheiros (Estado Organizado e Estado paralelo)?

O RISCO PARA OS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS PELA FALTA DE MORADIA E ARMAMENTO PESSOAL

Nunca é muito lembrar que os nossos militares das Forças Armadas, em sua maioria, não moram em imóvel funcional, não possuem residência própria e também não percebem Auxílio Moradia.

A consequência é residir em locais dominados pelo crime, sendo que, em regra, os militares das Forças Armadas não possuem Arma de Fogo Pessoal e Porte, ou seja, sequer consegue fazer frente a sua defesa pessoal e familiar – Abaixo Reportagem do Estadão!

 

 

5 comentários em “Intervenção Militar Decretada na Segurança do RJ é Necessária?

  • 16/02/2018 em 11:55
    Permalink

    Expondo mil ao ridiculo, ao perigo, pq muitos moram em areas perigosas. Um Ministro da Defesa perdido, e um Sec Seg e Governador do Rio incompetentes, que nao sabem nem o que estao fazendo nos cargos. Nada vai mudar.

    Resposta
    • 16/02/2018 em 14:57
      Permalink

      Temer quer ser reeleito e salvar o partido dele de bandidos.
      Acorda Brasil.

      Resposta
  • 16/02/2018 em 13:40
    Permalink

    Só esse ano 6 crianças mortas ! Saques à luz do dia ! Policiais mortos em série ! Pais e mães de famílias assassinados cruelmente ! É preciso restaurar a dignidade do povo ! A DESORDEM É A PIOR DAS GUERRAS !!! Estou na Folha de pagamento do governo há mais de duas décadas É como muitos me considero pronto para dar minha parcela de contribuição.

    Resposta
    • 16/02/2018 em 14:56
      Permalink

      Você mora na Vila Militar e não está bem aí para os Soldados.
      Hipócrita.

      Resposta
  • 16/02/2018 em 15:26
    Permalink

    Acabei de ler tbm uma notícia de que o presidente Temer provavelmente irá suspender a intervenção para votação da reforma da previdência, caso consiga o número de congressistas necessários para aprová-la, e depois decreta novamente a intervenção. É muita cara de pau!!! O STF deveria intervir, pois ele estará buscando um “jeitinho” de burlar a Constituição! Independente se seria necessária ou não uma intervenção federal no RJ, já que foi decretada deveria cessar apenas quando cumprisse seu objetivo, e não dar “pausa” para atender a interesses do governo! Se a Constituição proíbe emenda à Constituição durante a intervenção, não se pode aceitar nenhum “jeitinho” para ignorar o que a Carta Magna determina!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.